Governo do Amazonas é cobrado a apresentar esclarecimentos sobre contratos e valores pagos à Umanizzare

Foi requerida a relação detalhada das obrigações da empresa junto ao Estado.
15/05/2018 14h59 - Atualizado em 16/05/2018 16h34
Foto: reprodução

Foi solicitado do Governo do Estado nesta terça-feira (15), na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), cópias dos contratos originais, aditivos e anexos celebrados entre a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap), com a Umanizzare Gestão Prisional e Serviços Ltda. Requerimentos foram apresentados pelo deputado estadual Sidney Leite (PSD).

Também foi requerida a relação detalhada das obrigações da empresa junto ao Estado, especificamente sobre a competência e a responsabilidade na fuga dos 35 detentos do Centro de Detenção Provisória de Manaus II (CDPM II), no último sábado (12).

Presidente da Comissão de Educação da Aleam, Sidney Leite classificou como ‘absurdo’ o valor gasto por detento, em comparação ao que é investido em um estudante da rede pública de educação no Amazonas.

“Qual será o futuro do Amazonas quando a Umanizzare recebe R$ 4.129 para cuidar de um preso nas cadeias locais e o repasse do Ministério da Educação para manter um estudante na sala de aula é de R$ 2.875 ?“, questionou o deputado ao alertar que, segundo o Ministério Público de Contas, o valor praticado pela empresa é o dobro da média nacional (de R$ 2.400) em outros estados.

O parlamentar alfinetou a Seap dizendo que a secretaria mostra total descontrole do sistema prisional no Amazonas. “A Polícia Federal já emitiu o alerta para o risco iminente de novas fugas e os amazonenses não podem mais viver sob o medo e os interesses de facções criminosas”, destacou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso