Homem é preso após ejacular na perna de uma jovem dentro de transporte público

Segundo delegada ele será autuado pelo crime de “violação sexual mediante fraude”, que prevê de dois a seis anos de prisão.
09/05/2018 14h54 - Atualizado em 10/05/2018 17h17
Foto: Reprodução

Um homem foi preso após ejacular na perna de uma mulher de 23 anos dentro de uma composição do metrô, na manhã desta quarta-feira. A concessionária MetrôRio informou que a vítima viajava na Linha 2, sentido Botafogo, quando foi abordada dentro do trem. Ela foi conduzida à Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam). Funcionários do MetrôRio a acompanharam para testemunhar o caso às autoridades policiais.

A delegada Débora Ferreira Rodrigues, titular da Deam-Centro, disse que o homem, de 35 anos, é reincidente. No dia 20 de maio de 2014, ele foi preso depois de fazer o mesmo dentro de uma composição do metrô na estação de Vicente de Carvalho.

— Naquela ocasião, esse mesmo homem foi preso depois que encostou em uma mulher dentro do metrô, colocou o órgão genital para fora da calça e ejaculou em uma mulher — disse a delegada.Rio.

A delegada disse que ainda que ele será autuado pelo crime de “violação sexual mediante fraude”, que prevê de dois a seis anos de prisão. O preso, segundo Débora Rodrigues, não terá direito a pagamento de fiança. Seguirá para a audiência de custódia nesta quinta-feira. Enquanto isso, a delegada pedirá a conversão da prisão em preventiva para que ele responda pelo crime preso até o julgamento.

— Ele é um homem ardiloso, audacioso e fez com que a vítima não percebesse o ato — acrescentou Débora Rodrigues.

“Desde que o episódio foi notificado aos agentes de segurança da estação, funcionários da concessionária estão acompanhando e prestando assistência à vítima”, diz uma nota do MetrôRio.

No comunicado, a concessionaria diz ainda que “repudia o abuso sexual em todas as suas formas. A concessionária mantém campanhas informativas e trabalho permanente de vigilância contra abusos e delitos nas dependências do sistema. Diariamente, 450 agentes e 160 auxiliares de plataforma realizam rondas nas estações e nos trens para coibir qualquer ocorrência deste tipo. A empresa orienta vítimas e testemunhas de abuso a acionar o Corpo de Segurança Metroviário sempre que necessário. Nessas situações a vítima pode acionar o botão de segurança dentro dos trens, para facilitar e agilizar o atendimento. A concessionária também incentiva as vítimas a registrar a ocorrência na Polícia e está à disposição das autoridades para ajudar a elucidar o caso, inclusive fornecendo imagens, sempre que solicitada.”


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso