Hostilizado, Temer diz que ‘País precisa tomar critérios de educação cívica’

Ele foi alvo de protesto de integrantes de movimentos sociais ao visitar o local do prédio na terça.
03/05/2018 15h37 - Atualizado em 4/05/2018 17h09
Foto: Reprodução

O presidente Michel Temer (MDB) afirmou não se incomodar com a hostilidade sofrida ao visitar o local do desabamento do edifício Wilton Paes de Almeida, no centro de São Paulo.

O edifício desabou após um incêndio na madrugada de terça (1º). Pelo menos 169 famílias ficaram desabrigadas. Uma linha de investigação com que a Polícia Civil trabalha é de que a explosão de um botijão de gás ou de uma panela de pressão tenha dado início ao fogo.

Temer foi alvo de protesto de integrantes de movimentos sociais ao visitar o local do prédio na terça. Ele teve de ir embora às pressas no carro oficial em função de atos hostis de manifestantes e sob gritos de protesto.

Sabe o que acontece? Eu não me incomodo com isso. O importante era o gesto de autoridade, porque você é um presidente da República num caso como esse, convenhamos, uma tragédia das mais dramáticas e com gente naturalmente muito carente, muito pobre. Eu estando em São Paulo e não comparecer lá seria objeto de críticas. Você me estaria fazendo a pergunta ao reverso. Eu sabia que indo lá teria alguma hostilidade, mas não me incomodei“, afirmou.

Fui lá, fiz declarações à imprensa, já havia falado com o ministro da Integração Nacional [Antônio de Pádua], havia já ligado para o Ministério das Cidades. Enfim, coloquei-os todos nessa questão. Portanto, não há problema nenhum. O mau seria eu não revelar a autoridade de presidente temeroso de uma ou outra hostilidade, que sempre é negativa. Sempre é negativa, não é útil. Acho que o país precisa tomar critérios de educação cívica, mas eu não me incomodei minimamente com isso“, complementou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso