Preso por fraudes de até R$ 4 bilhões, dono da Dolly acusa Coca-Cola

Enquanto caminhava para dentro da delegacia, Codonho afirmou a jornalistas que sua prisão se devia a uma “perseguição da Coca-Cola”.
10/05/2018 18h15 - Atualizado em 10/05/2018 18h15
Foto: Reprodução

A Polícia Militar prendeu na manhã desta quinta-feira o dono da companhia de refrigerantes Dolly, Laerte Codonho. Ele estava em sua casa, na Granja Viana, em Cotia, na Grande São Paulo. As investigações apontam para fraude fiscal estruturada, organização criminosa e lavagem de dinheiro, num total desviado de R$ 4 bilhões.

A PM foi acionada pelo Ministério Público de São Paulo para acompanhar a prisão do empresário. Codonho, encaminhado ao 77º DP, chegou à delegacia com um papel sulfite nas mãos no qual se lia “Preso pela Coca-Cola”, escrito com batom vermelho.

Enquanto caminhava para dentro da delegacia, Codonho afirmou a jornalistas que sua prisão se devia a uma “perseguição da Coca-Cola” e que era vítima de esquemas praticados por seu contador. Procurada, a Coca-Cola informou que “não comenta processos judiciais em que não esteja envolvida”.

Repercussão na internet
Diversos internautas criaram brincadeiras com o mascote Dollynho, que protagoniza as campanhas publicitárias dos refrigerantes da marca. Alguns sugeriram protestos e carimbos com a mensagem “Dollynho livre”, enquantos outros imaginaram como seria a vida do personagem atrás das grades.

Veja alguns memes:


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso