Presos por pedofilia em Manaus incluem sargento da PM, comerciante, designer e vigilante

O perfil dos acusados é diverso. Em Manaus foram presos seis homens com idades de 22 a 52 anos.
17/05/2018 15h13 - Atualizado em 18/05/2018 15h57
Foto: reprodução

Até o fim da manhã, 132 pessoas haviam sido presas em flagrante em todo o país pela Operação Luz na Infância 2, deflagrada nesta quinta feira (17) pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública (Mesp), com o apoio das Polícias Civis do Distrito Federal e 24 estados. Em Manaus foram presos seis homens com idades de 22 a 52 anos.

O perfil dos acusados é diverso. Há homens e mulheres e pessoas dos mais variadas profissões — advogados, educadores, profissionais da área de saúde e, inclusive, um servidor público que trabalhava com crianças.

Entre os presos na capital amazonense estão um primeiro sargento da Polícia Militar, de 52 anos, capturado no bairro Petrópolis, Zona Sul; um vigilante de 50 anos preso no Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul; um comerciante de 41 anos na Cidade Nova, Zona Norte; um designer de 36 anos no N. S. das Graças; um autônomo de 29 anos no Jorge Teixeira, Zona Leste; e um técnico de refrigeração de 22 anos preso no Morro da Liberdade, Zona Sul.

Ao todo, 2,6 mil policiais participaram da ação, que, segundo o ministro Raul Jungmann, é a maior operação para reprimir crimes de abuso e exploração sexual infantojuvenil realizada em um único dia no mundo. Além das prisões, são cumpridos 579 mandados de busca e apreensão de arquivos com conteúdos relacionados a esse tipo de crime.

Segundo o coordenador do Laboratório de Inteligência Cibernética, Alessandro Barreto, as prisões são baseadas em indícios fortes. Segundo ele, o suspeito com a menor quantidade de material ilegal em seu computador armazenava 150 arquivos.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso