TSE manda remover site ligado à campanha de Alckmin por ação contra Bolsonaro

A propaganda ofende a honra do presidenciável, imputando-lhe fatos caluniosos, difamatórios e injuriosos.
30/06/2018 15h43 - Atualizado em 30/06/2018 17h41
Foto: reprodução

O ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Sérgio Banhos determinou nesta quarta-feira (27) a remoção de 1 site vinculado à página do pré-candidato ao Planalto (PSDB) no Facebook por propaganda eleitoral antecipada negativa contra o também pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL). A decisão (íntegra) é liminar (provisória).

Internautas quem publicam qualquer comentário com o nome de Bolsonaro, ou expressões popularmente conhecidas (Mito, Bolso, etc.) na página autenticada mantida por Alckmin, na rede social Facebook, recebem notificação automatica gerada em sua caixa postal (inbox) que o induz a clicar em um link que leva ao resultado de uma busca no site de pesquisas Google, com a expressão irônica: ‘Motivos para votar em Bolsonaro’.

De acordo com a liminar a propaganda ofende a honra do presidenciável, imputando-lhe fatos caluniosos, difamatórios e injuriosos como nos seguintes trechos: “Aceita dinheiro de propina para fazer campanha política”; “É homofóbico, misógino e racista.”


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso