Grupo político “desenterra” tweets preconceituosos de Bruno Gagliasso

O perfil do Movimento Brasil Livre (MBL) pediu boicote do ator.
05/07/2018 14h37 - Atualizado em 5/07/2018 18h03
Foto: Reprodução

Bruno Gagliasso foi enfático a respeito do caso envolvendo o youtuber Júlio Cocielo, que tem sido alvo de críticas após ter adotado um discurso racista contra Kylian Mbappé, jogador da Seleção da França.

Ele e a esposa, Giovanna Ewbank, não tiveram papas na língua e pediram boicote ao influencer digital. “Preconceito não se combate sozinho. Vamos precisar de todo mundo. A mensagem precisa ser clara e direta. Num mundo digital em que seguidor significa dinheiro e carreira, a gente precisa entender a importância do boicote. […] Não é um caso isolado. Não foi o primeiro, não será o último. A gente precisa atuar com quem realmente movimenta essa máquina: a audiência. Racismo é um problema de todos nós“, disse o ator.

Contudo, com a polêmica, alguns internautas recuperaram tweets antigos do galã global e o acusaram de também ter sido preconceituoso no passado. O perfil do Movimento Brasil Livre (MBL) pediu boicote do ator. Veja:

https://twitter.com/MBLivre/status/1014622942108553216/photo/1?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1014622942108553216&ref_url=http%3A%2F%2Fwww.portaldoholanda.com.br%2Fbruno-gagliasso%2Fapos-pedir-boicote-cocielo-bruno-gagliasso-tem-posts-homofobicos

No Twitter, Bruno se defendeu:

ENTENDA O CASO
Júlio Cocielo comentou alguns lances da partida entre França e Argentina, que aconteceu no estádio de Kazan no último sábado, 30, mas foi muito criticado ao mencionar o jogador francês Kylian Mbappé em um de seus tweets. “Mbappé conseguiria fazer uns arrastões top na praia”, escreveu ele.

Em poucos minutos, o comentário de Cocielo foi retuitado por dezenas de internautas, que o acusaram de racismo. “Alô, Twitter. Como vocês permitem que pessoas como o Cocielo tenham voz por aqui? Racismo pode?”, questionou uma pessoa. “Júlio Cocielo foi racista, sim. Não adianta dizer que não foi a intenção”, afirmou outra. “Se fosse o Antoine Griezmann ou o Cristiano Ronaldo seria: ‘Corre para car*lho’. Mas como é o Mbappé é arrastão. Racismo velado é isso! Branco correndo é atleta, negro correndo é assalto”, enfatizou um terceiro indivíduo.

Ao ver a repercussão negativa do caso, o influencer digital apagou o post e se justificou. “Hoje fiz um tweet sobre o Mbappé e a piada se referia a velocidade dele devido a um lance do jogo, nada além disso. O tweet foi interpretado de mil formas diferentes e gerou uma grande discussão. Decidi deletar pois nunca fui de entrar em polêmicas, mas já era tarde demais, tinha tomado uma proporção enorme… De qualquer forma, não existe justificativa, isso fez eu me sentir muito mal, só de imaginar ter sido uma pessoa escrota. Arrependido e arrependido. Lição para a vida. Nunca mais se repetirá! Peço desculpas publicamente por ter ofendido inúmeras pessoas e como sempre digo: meu sonho sempre foi alegrar e motivar todos a acreditarem nos próprios sonhos. Magoar alguém nunca foi minha intenção, quem conhece minha história ou convive comido, sabe como sou. Jamais agiria desta forma. Vivendo e aprendendo, não vou entrar em nenhuma discussão, assumo meu erro. Desculpa“, disse ele.

Cocielo também foi criticado por posts antigos de cunho racista e rebateu. “Pegaram alguns comentários antigos, de uns 8 anos atrás, que eu já havia feito aqui no Twitter, tenho até vergonha. Cara, como eu falava merda. Na época, esses comentários infelizes tinham uma interpretação totalmente diferente de hoje, um momento delicado. Muitas vezes fui irônico, muitas vezes estava zoando entre amigos, muitas vezes só queria ser o engraçadão. São coisa que eu nem lembrava ter escrito”, afirmou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso