Jogadores da Colômbia são ameaçados de morte após eliminação na Copa do Mundo; autoridades temem

Um grupo de mulheres consideradas as mais perigosas do país virou assunto após ameaças de morte contra jogadores.
06/07/2018 18h04 - Atualizado em 6/07/2018 18h04
Foto: reprodução

Após a eliminação da Colômbia na Copa do Mundo da Rússia, na terça-feira, um grupo de mulheres consideradas as mais perigosas do país virou assunto. Conhecidas como ‘sicarias’ (assassinas de aluguel, em espanhol), elas são contratadas por gangues locais para executar assassinatos. As ‘sicarias’ se tornaram uma preocupação ainda maior depois que jogadores da seleção colombiana receberam ameaças de morte de torcedores por serem eliminados do mundial pela Inglaterra. O temor é que as mulheres sejam utilizadas para cumprir as intimidações, que já estão sendo investigadas pelas autoridades locais.

As mulheres aparecem em fotos exibindo armas. Alguns registros foram feitos oito anos atrás na periferia de Medellín, uma das maiores cidades do país. Na época, a população vivia acuada pela violência crescente na região.

Camila, de 23 anos, é autora de seis assassinatos, que foram cometidos com uma arma de calibre 38. Em alguns dos crimes, ela estava grávida do seu segundo filho, declarou a jovem ao jornal britânico “The Sun”.

Já a assassina Monica Rodriguez, de tão conhecida, virou personagem de um filme que retrata as ‘sicarias’. Segundo o “The Sun”, ela tinha apenas 12 anos e estava grávida quando cometeu seu primeiro homicídio. Depois, foi morta aos 18 anos.

O trabalho de uma das mais experientes do grupo, no entanto, é mais secundário. Margarita, 73 anos, é conhecida como “feiticeira” e tem a função de esconder armas para as gangues locais. Em seu quarto, ela mantém uma espingarda sobre a cama.

AMEAÇA APÓS DERROTA
As imagens das assassinas de aluguel armadas começaram a circular depois que a seleção colombiana perdeu pênaltis contra a equipe da Inglaterra, na terça-feira, em partida pelas oitavas de final da Copa. Os jogadores Mateus Uribe e Carlos Bacca receberam ameaças de morte.

Considerado o pior batedor de pênalti por torcedores indignados, Bacca foi o principal alvo das intimidações. Um tuíte do internauta David Castaneda dizia: “Morre, Carlos Bacca. Ninguém quer você. Para este país você não volta”.

Já Jhon Duqueismo escreveu: “Obrigado a todos os jogadores, menos ao inútil e o morto do Carlos Bacca. Não volte para cá”.

As provocações foram feitas apesar de uma investigação policial que foi aberta para apurar as ameaças de mortes recebidas pelo jogador colombiano Carlos Sanchez após ser expulso aos três minutos do primeiro tempo da partida entre Colômbia e Japão na Copa.

Muitos torcedores indignados lembraram os 24 anos da morte do zagueiro Andres Escobar, que foi morto a tiros depois que seu gol contra foi o responsável por mandar a seleção colombiana de volta para casa na Copa do Mundo de 1994.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso