Policial tem perna arrancada após motorista avançar em blitz da Lei Seca

O motorista infrator avançou a blitz, atropelou o policial militar, bateu em um carro que estava na via e ainda capotou por cerca de 150 metros.
07/07/2018 15h02 - Atualizado em 7/07/2018 15h02
Foto: reprodução

O policial militar Marcio Luiz Marmelo do Vale, de 51 anos, teve a perna arrancada após um motorista, alcoolizado, atingi-lo, ao avançar uma blitz da Lei Seca, em São Conrado, Zona Sul do Rio de Janeiro. O caso ocorreu por volta das 23h desta sexta-feira.

Identificado como Almir Filho Martins Farias, de 33 anos, o motorista infrator dirigia uma caminhonete Mitsubishi L200. Ele avançou a blitz, atropelou o policial militar, bateu em um carro que estava na via e ainda capotou por cerca de 150 metros. O agente ficou gravemente ferido e teve a perna amputada.

O condutor de van Jurandir Antonio da Silva, de 66 anos, estava no veículo que foi atingido pela caminhonete. Ele retornava do trabalho quando foi surpreendido pelo motorista alcoolizado e ficou ferido no acidente, assim como o homem que tentava fugir da blitz.

Após ser socorrido, o causador do acidente fez o teste do bafômetro, que constatou que ele estava alcoolizado. O teste do bafômetro do motorista deu 0,87, sendo que resultado 0,34 já é considerado criminal. Ele foi autuado em flagrante, mas está internado sob custódia no Hospital Miguel Couto, na Gávea, também na Zona Sul.

As vítimas foram levadas para a mesma unidade de saúde. O PM atropelado passou por uma cirurgia e tem quadro estável na manhã deste sábado. Já Jurandir e o infrator passaram por alguns exames na unidade, com quadros de saúde estáveis e sem previsão de alta. O policial militar deve ser transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, ainda neste sábado.

De acordo com dados da Secretaria municipal de transporte, há duas infrações anotadas com a placa da caminhonete que ficou destruída na tentativa fuga. A primeira dela, com gravidade média, foi por transitar em velocidade superior a máxima permitida em até 20%, na Avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, em junho de 2015. Em abril de 2017, há uma infração gravíssima por avançar o sinal na Avenida das Américas, no mesmo bairro.

O caso foi inicialmente registrado na 12ª DP, em Copacabana, onde fica a central de flagrantes. A Polícia Civil informou que a unidade irá ouvi-los assim que receberem alta médica.

Filho de Jurandir, o policial militar Marcelo Fontoura, de 42 anos, soube do acidente porque uma pessoa que presenciou a situação pegou o celular do pai no carro e ligou para a última chamada registrada, que era o contato da filha da vítima. Diante disso, Marcelo foi até local, onde esperou a perícia.

— Por muita sorte meu pai não sofreu nada. Só saiu daqui com um pouco de dor no ombro. Esse cara podia ter acabado com um pai de família — afirmou Marcelo, chocado com a situação.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso