Temporários da SPF denunciam que estão sendo obrigados por secretária a fazerem campanha para Amazonino

Segundo denuncia a titular os instrui a enganar populares com falsas regularizações fundiárias tendo como finalidade a divulgação e alusão ao nome do governador.
31/07/2018 16h43 - Atualizado em 1/08/2018 16h19
Foto: Divulgação

Redação AM POST

A titular da Secretaria de Política Fundiária (SPF), Paula Kanzler Soares, será investigada pelo Ministério Público Federal (MPF) após denuncia que a acusa de coagir servidores temporários da pasta a fazerem campanha em favor do governador (PDT) e do seu marido, coronel Amadeu Soares (PDT), que é candidato a deputado estadual.

A denuncia sobre o uso da estrutura do governo do Estado para práticas irregulares em período eleitoral foi enviada nesta terça-feira (31) ao Comitê de Fiscalização de Combate à Corrupção Eleitoral e ao Caixa Dois.

Os servidores que estariam sendo coagidos foram contratados em junho deste ano por meio do Edital 036/2018 da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADES), para o “Projeto de Apoio a Regularização Fundiária de Áreas Remanescentes no Perímetro Urbano de Manaus”.

De acordo com o MPF documentos enviados na denúncia serão avaliados pela procuradoria eleitoral, para então se manifestar sobre qual será o andamento da judicialização.

Os temporários usam como prova um áudio gravado na última sexta-feira (27), durante reunião da secretária Paula Kanzler Soares com assessores e os funcionários em que os instrui a enganar populares com falsas regularizações fundiárias e tendo como finalidade principal, a divulgação e alusão aos nomes do governador e de Amadeu Soares. Caso não sigam indicação podem ser demitidos.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso