Dia “D” de vacinação contra poliomielite terá 549 postos em Manaus

O público-alvo são crianças na faixa etária de um ano até quatro anos, 11 meses e 29 dias.
17/08/2018 17h53 - Atualizado em 18/08/2018 17h30
Foto: Divulgação

O município de Manaus terá 549 postos de vacinação contra a poliomielite (paralisia infantil) neste sábado, 18/8, o Dia D de Mobilização Nacional contra a doença. Nas 183 salas de vacina da rede pública, além das gotinhas, também será oferecida a vacina contra o sarampo para os casos em que o cartão de vacinação não estiver atualizado.

Para a pólio, o público alvo são todas as crianças na faixa etária de um ano até quatro anos, 11 meses e 29 dias. A abertura oficial da programação, coordenada pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), acontecerá no Parque Cidade da Criança, na rua Castro Alves, 100, bairro do Aleixo, zona Centro-Sul, a partir das 9h.

Os 549 postos estarão distribuídos nos Distritos de Saúde (Disas) Norte, Sul, Leste e Oeste, funcionando das 8h às 17h, e no Disa Rural, das 8h às 16h. A lista com os endereços ficará disponível no site: http://semsa.manaus.am.gov.br.

Além de Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Policlínicas e Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs), equipes da Prefeitura de Manaus estarão vacinando em locais de grande concentração de pessoas e fácil acesso para a população, com postos em escolas, supermercados, igrejas, shoppings e feiras. Os pais e responsáveis devem levar as crianças aos postos apresentando o cartão de vacina.

Meta
A programação do Dia D faz parte da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite, iniciada no dia 6 de agosto, nas 183 salas de vacina do município, e que até o momento imunizou 18.417 crianças, representando apenas 13,28% da população alvo estimada pelo Ministério da Saúde.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, o público alvo total da campanha em Manaus é de 138.641 crianças. “A recomendação do Ministério da Saúde é para a imunização de no mínimo 95% desse público, correspondendo a 131.709 crianças. A meta mínima da imunização da população alvo é uma forma de garantir uma cobertura vacinal elevada e, assim, evitar o retorno de registros de casos da doença no Brasil, que está livre da poliomielite desde 1990”, alerta Magaldi.

A chefe da Divisão de Imunização da Semsa, enfermeira Isabel Hernandes, ressalta que, mesmo sem registro de casos de poliomielite no Brasil, a imunização da população deve ser mantida considerando o registro de casos da doença em outros países, como Paquistão e Afeganistão.

“Pessoas circulam por diferentes países e por isso o risco de reintrodução da doença no Brasil é permanente. A única forma do país não voltar a ter casos de poliomielite, ou outras doenças imunopreveníveis, é a população buscar sempre a prevenção por meio da vacinação nas Unidades de Saúde”, afirma Isabel.

Saúde coletiva
A diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), Marinélia Ferreira, reforça que todas as crianças de um ano até quatro anos, 11 meses e 29 dias devem ser vacinadas na Campanha contra a Poliomielite.

“Independente da situação vacinal, mesmo que esteja com o esquema de vacina completo, a criança deve ser imunizada. A dose de vacina que está sendo aplicada é uma dose de campanha, ou seja, não se trata apenas da proteção individual da criança, mas de uma proteção da coletividade, evitando riscos para a saúde pública como um todo. Os pais e responsáveis têm a responsabilidade da garantir essa proteção”, orienta Marinélia.

Doença
A poliomielite é uma doença infecto-contagiosa aguda, causada por um vírus que vive no intestino, denominado Poliovírus. Ocorre com mais freqüência em crianças menores de quatros anos, mas pode atingir adultos também. Os sintomas são parecidos com os de outras doenças virais ou semelhantes às infecções respiratórias como gripe, mas pode ocorrer o desenvolvimento da forma paralítica da doença e causar sequelas permanentes e, em alguns casos, levar à morte.

A transmissão ocorre pelo contato direto pessoa-pessoa, pelas vias fecal-oral ou oral-oral, através de gotículas expelidas ou pela ingestão de água e alimentos contaminados com fezes contendo o vírus. A poliomielite não tem tratamento específico e pode ser evitada pela vacinação.

Sarampo
Em nível nacional, a Campanha lançada pelo Ministério da Saúde inclui a vacinação de crianças contra o sarampo, mas em Manaus, considerando o surto da doença, a aplicação da tríplice viral, que imuniza contra sarampo, rubéola e caxumba, foi antecipada ainda no mês de março deste ano, tendo registrado a vacinação de 204.897 crianças na faixa etária de seis meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias, superando a meta de 191.585 doses.

A vacina tríplice viral está disponível na rotina diária de serviço de 183 Unidades da Saúde da rede municipal, direcionada para a faixa etária de seis meses a 49 anos.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso