MPF diz em denúncia que colunista social Waisser Botelho recebeu propina em esquema da Maus Caminhos

Segundo o MPF o comunicador recebeu entre 2013 e 2016, mais de R$ 600 mil em propina.
23/08/2018 17h09 - Atualizado em 24/08/2018 17h53
Foto: Reprodução

Redação AM POST

O colunista social e apresentador de TV, Waisser Botelho, foi denunciado pelo Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM) sob acusação de recebimento de propina do médico, Mouhamad Moustafa, e da empresária, Priscila Marcolino Coutinho, acusados de desviar mais de R$ 110 milhões da saúde pública do Amazonas, e cometer crime de tráfico de influência. A deflagração da operação Custo Político, em dezembro de 2017, revelou a participação do jornalista na negociata.

Segundo o MPF o comunicador recebeu entre 2013 e 2016, mais de R$ 600 mil em propina, em parcelas mensais de R$ 16,2 mil pagas com dinheiro público, para favorecer o esquema e viabilizar a contratação da empresa Total Saúde Serviços Médicos e Enfermagem LTDA. para a prestação de serviços junto à Fundação de Medicina Tropical (FMT).

O MPF acredita que devido grande influencia no high society manauara o apresentador de TV era peça estratégica para a organização criminosa liderada por Mouhamad, arquitetar esquemas grandiosos envolvendo políticos do estado como o ex-governador cassado, José Melo, além de agentes públicos estaduais ligados à saúde.

O crime de tráfico de influência está previsto no artigo 332 do Código Penal, com agravante de ter sido cometido de forma continuada, o que pode resultar em penas superiores a cinco anos de prisão.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso