Após ser capturado e agredido, assaltante pede desculpas e faz pedido inusitado à vítima: ‘Me adiciona no Face’

O meliante pediu para que a jovem o adicionasse em uma rede social para providenciar o pagamento dos danos.
20/09/2018 15h16 - Atualizado em 21/09/2018 12h51
Foto: Reprodução

Um ladrão pediu desculpas a uma fotógrafa, de 28 anos, após roubá-la em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O assaltante foi perseguido por familiares da vítima, alcançado, agredido e, em seguida, levado de volta ao lugar do crime, onde ainda pediu para que a jovem o adicionasse em uma rede social para providenciar o pagamento dos danos.

O caso ocorreu na noite desta quarta-feira (19), em frente a um imóvel no bairro Tupy. “Meu tio é mecânico e estava trabalhando com o portão da calçada aberto, como sempre fez. Eu conversava com ele, quando esse cara passou caminhando e olhando para a gente. Ficamos atentos”, conta a fotógrafa, que pediu para não ser identificada, por segurança.

Momentos depois, o suspeito voltou e ameaçou os dois. “Ele veio com uma mão embaixo da camiseta, indicando que estava armado. Meu tio e minha tia ficaram parados, assim como eu. Ele pediu meu celular, e fui tirando devagar as coisas da bolsa. Quando ele estendeu a mão, percebi que não havia arma”, lembra.

A vítima gritou, e o ladrão saiu correndo do local levando apenas o celular dela. “Meu tio, que já tem idade, saiu atrás dele. Meu primo foi em seguida. Dois funcionários da concessionária de energia, que estavam na rua, fizeram o mesmo, mas eles estavam de carro. Foi todo mundo atrás do cara, mas eu fiquei ali”.

Os demais familiares da fotógrafa resolveram acionar a Polícia Militar em meio à confusão. “Mas, depois, nós pensamos: o que adiantaria esperar uma viatura? Antes de a gente terminar de pensar, os dois funcionários da empresa de energia voltaram com o meu celular na mão. O ladrão jogou no chão e quebrou a tela”, conta.

Momentos depois, a jovem ficou surpresa quando viu o tio e o primo, ofegantes, voltando com o ladrão, ferido no rosto e bastante assustado. “O cara chegou perto de mim, juntou as mãos e pediu desculpas, perdão. Ele me disse, ainda, que fazia questão que eu o adicionasse no Facebook, para que ele pudesse pagar os danos ao celular”.

Depois das desculpas, ele foi liberado e saiu andando do local sem nada. O tio e o primo dela disseram que conseguiram detê-lo no bairro vizinho, Vila Caiçara, depois que ele tirou a blusa, para tentar despistá-los. No caminho de volta, o ladrão ainda pediu aos dois que o permitissem descansar um pouco, pois havia “corrido muito”.

“Somos nós que estamos cansados da impunidade, mas só reagimos depois de percebermos que ele não estava, realmente, armado. Meu tio resolveu da maneira antiga, como ‘macho’. Ele não foi espancado, mas tomou uma surra e aprendeu a lição. O cara entendeu o recado, e garantiu que nunca mais vai passar ali”, afirma.

A fotógrafa afirmou que não vai adicionar o criminoso na rede social e cobrar dele os danos ao aparelho.”Recentemente, eu fiquei três horas para fazer um B.O. e sai da delegacia sem conseguir fazê-lo”.

O jovem é suspeito de cometer outros crimes no mesmo bairro. Até agora, porém, ele não foi preso. A polícia pede que possíveis vítimas entrem em contato e registrem um boletim de ocorrência que possa auxiliar nas investigações. A orientação, segundo as polícias Militar e Civil, é que, em casos como esse, as vítimas não reajam e peçam ajuda pelo telefone 190 ou em uma delegacia.

Fonte: G1


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso