Petista João Pedro é acusado de usar servidora do Incra e a máquina pública para exigir apoio a sua candidatura

Político está usando os serviços de uma ouvidora para intimidar os sindicalistas do setor da produção no campo.
20/09/2018 18h59 - Atualizado em 21/09/2018 12h50
Foto: Reprodução

Títulos de terras no interior, assim como facilidades para todas as demandas anteriores e posteriores às eleições, estão servindo de moeda de troca e de exigência do candidato a deputado estadual João Pedro (PT), que já foi já foi superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), e está barganhando junto a produtores rurais e sindicalistas de alguns municípios do Estado, entre eles, o de Apuí apoio político.

O petista está usando os serviços da ouvidora e ex-superintendente do Incra, Maria do Socorro Marques Feitosa, para intimidar os sindicalistas do setor da produção no campo, exigindo que eles apoiem a candidatura de João Pedro para ter ‘benefícios’ futuros.

Em áudio, vazado na internet, a uma companheira de partido, ela pede que passe para ‘o lado’ do candidato João Pedro porque os seus oponentes dentro da legenda já têm ‘apoio demais’ e o João está com sérias dificuldades para emplacar a sua candidatura.

Maria do Socorro Marques Feitosa já foi superintendente do Incra em período posterior à administração do João Pedro, que também foi superintendente do órgão e agora está enviando a fatura aos produtores e sindicalista.

Socorro está usando o fato de ser ouvidora do Incra, para obrigar os sindicalistas rurais a apoiarem a candidatura de João Pedro, por ele ter feito supostas ações durante sua gestão.

Ela deixa a entender, que caso os sindicalistas não atendam a exigência, as demandas do órgão para o município serão canceladas para os que não apoiarem João Pedro.

Fonte: Agora Amazonas


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso