Policial civil é preso suspeito de sacar arma em bar e arremessar companheira do carro

Vítima se feriu e foi levada ao hospital pelo Samu. Testemunhas relatam que policial fez ameaças.
14/09/2018 11h35 - Atualizado em 14/09/2018 11h35
Foto: Reprodução

Um policial civil foi preso suspeito de agredir a companheira e jogá-la do carro em movimento, em Brasília, na madrugada desta sexta-feira (14). A agressão ocorreu em um bar no Setor Bancário Sul.

Testemunhas relatam que a confusão começou ainda dentro do estabelecimento. Afirmam também que ele sacou a arma e fez ameaças quando foram tentar ajudar a mulher.

Em seguida, o homem foi embora levando a companheira. Momentos depois, ela foi encontrada caída no chão, por ter sido arremessada do veículo.

Socorristas do Samu levaram a vítima ao hospital. O suspeito foi preso pela Polícia Militar e encaminhado para a 5ª DP (Asa Norte).

G1 aguarda retorno da Polícia Civil para saber se o caso será investigado pela Corregedoria.

O que diz a defesa?

A advogada do policial, Mariana Lopes de Souza, disse ao G1 que não houve qualquer tipo de agressão à mulher. “O que houve, na realidade, foi um desentendimento entre o policial civil e a Polícia Militar no local.”

“A própria mulher esteve na delegacia e disse que não foi agredida. Não houve lesão aparante e, na ocorrência, sequer consta lesão corporal.”

G1 tenta, desde as 6h40 desta sexta-feira, obter a ocorrência do caso oficialmente com a Polícia Civil. No entanto, até a última atualização desta reportagem, a instituição não havia repassado a versão registrada.

Segundo a advogada, a mulher foi encontrada no chão porque sorfreu “uma espécie de convulsão”. “Parece que ela tinha tomado remédios e fez uso de bebida alcoolica.”

O vice-presidente do Sinpol, Paulo Roberto Sousa, disse que o casal estava indo para casa quando a mulher passou mal. “Ele parou o carro, ela abriu a porta e desceu, mas passou mal e começou a ter convulsões.”

“Ele deitou ela no chão, chegou o pessoal do Exército, ele se identificou como policial e explicou a situação. Chamaram o Samu para fazer o socorro e chegou a PM.”

Fonte: G1


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso