Prostitutas chamam bordéis com bonecas hiper-realistas de ‘desumanos’

Outras profissionais citam que as bonecas encorajam as fantasias envolvendo estupro.
20/09/2018 12h07 - Atualizado em 20/09/2018 12h07
Foto: Reprodução

O inimigo é passivo, silencioso e quieto, mas tem incomodado bastante. É cada vez mais ruidoso o manifesto de prostitutas contra bordéis que “contratam” bonecas hiper-realistas como “funcionárias”. A novidade sexual surgiu na Europa e já chegou aos EUA.

E é exatamente na terra do Tio Sam que as profissionais – humanas – do sexo têm protestado com mais veemência. A questão não á apenas reserva de mercado ou corporativismo. A discussão se tornou mais profunda. Para muitas, o uso das bonecas em casas de prostituição “incentiva o desrespeito às mulheres”.

“É desumano”, desabafou Alissa, que trabalha no famoso Sheri’s Ranch, em Nevada (EUA). Profissionais do sexo oferecem mais do que simulação de uma mulher. Oferecemos intimidade autêntica e afeição que os nossos clientes anseiam e tiram proveito dela”, acrescentou a prostituta.

“A ideia de que as mulheres deveriam ser como bonecas – passivas e letárgicas durante o sexo – é bem perigosa”, opinou Roxanne Price, que também trabalha no Sheri’s Ranch. “Os bordéis estão incentivando a ideia de que as mulheres não passam de mero objeto”, acrescentou.

As bonecas estão também penetrando em outro mercado. Um estúdio acabou de produzir o primeiro filme pornô tendo uma atriz totalmente siliconada como uma das estrelas

O tema é mais amplo. Especialistas acreditam que a disseminação do uso de bonecas sexuais vai pôr em risco à existência dos japoneses nos próximos séculos.

Fonte: Extra

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso