TSE nega pedido de Daciolo para anular eleição e fazer nova votação com cédula de papel

Ministro do TSE destacou que o sistema eletrônico de votação está previsto em lei aprovada pelo Congresso.
20/10/2018 14h37 - Atualizado em 20/10/2018 14h37
Foto: Reprodução

O ministro Tarcísio Vieira, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) , negou pedido feito pelo candidato a presidenteCabo Daciolo (Patriota) para anular o primeiro turno da eleição e fazer uma nova votação emcédula de papel. Segundo Daciolo, a legislação eleitoral autoriza a medida em caráter excepcional. Na sua avaliação, a situação excepcional no caso é a falta de segurança do sistema eletrônico de votação. Tarcísio, porém, disse que as alegações do candidato contra as urnas são genéricas, sem apontar provas.

O ministro destacou também que o sistema eletrônico de votação está previsto em lei aprovada pelo Congresso. Assim, caso Daciolo queira mudança, deverá fazer isso por meio do Poder Legislativo, e não pelo Judiciário.

Daciolo terminou o primeiro turno em sexto lugar e ficou fora do segundo turno, que é disputado entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Segundo ele, há “incontável número de denúncias de mau funcionamento e/ou adulteração do sistema”. Mas ministros do TSE e do Supremo Tribunal Federal (STF) vem sistematicamente defendendo a segurança das urnas eletrônicas.

Em 4 de setembro, antes do primeiro turno, ele já tinha ido ao TSE solicitar que a eleição fosse em cédula de papel, mas o pedido também não foi atendido. Em junho deste ano, por oito votos a dois, o STF, que é a corte mais alta do país, derrubou o trecho de uma lei que exigia o voto impresso. Foi suspenso o trecho da minirreforma eleitoral, aprovada pelo Congresso Nacional em 2015, que determinava a instalação do mecanismo em todas as urnas eletrônicas. Para a maioria da Corte, a impressão deixa margem para a violação do sigilo e da liberdade de voto dos eleitores.

Fonte: Jornal Extra


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso