Wilson Lima dispara contra credibilidade da polícia em debate e diz que operação que prendeu traficante é armação

Traficante preso em operação policial revelou esquema de compra de votos em Codajás.
25/10/2018 23h02 - Atualizado em 26/10/2018 10h19

Redação AM POST

O candidato ao governo do Amazonas, Wilson Lima (PSC), pôs a prova durante último debate do segundo turno ocorrido nesta quinta-feira (25) e exibido pela TV Amazonas, veracidade de uma operação policial ocorrida na última sexta-feira (19/10) que prendeu o traficante Diellison Wendel Alves Pinheiro, “o Didi”, acusado de comandar o tráfico de drogas em Codajás (distante 297 quilômetros de Manaus), com R$ 17 mil e duas armas além de ter confessado que desse dinheiro R$ 12 mil seriam utilizados para comprar votos em favor de Lima, dois dias antes da eleição.

De acordo com Wilson os policiais que demoraram meses investigando “Didi” são cúmplices de uma armação. “Candidato o senhor usa a máquina, usa a polícia militar para fazer armações, para fazer montagens. Veja você o que aconteceu recentemente lá no município de Codajás, o candidato usou um ator tão fajuto que nem no município de Codajás eu estive”, disparou Wilson em resposta a um pergunta sobre fake news.

Conforme informações da polícia, “Didi”, – que estava sendo investigado há quatro meses pelos crimes de tráfico de drogas e de pirataria, – ao ser questionado sobre a origem do dinheiro, disse que um homem identificado apenas como “Paulo”, intermediário do candidato, ofereceu os R$ 12 mil para a compra dos votos. Segundo ele declarou à Polícia, cada eleitor receberia R$ 50. “Era para comprar votos pro Wilson Lima porque eu devo favores a ele”, disse, em vídeo gravado pela polícia.

Em nenhum momento traficante disse que teria tratado da negociata para comprar votos no município diretamente com o candidato e sim com um intermediário.

Contradição
Em outra resposta Wilson tentou se concertar e exaltou os policiais do Estado mas foi desmascarado pelo governador, Amazonino Mendes (PDT), que tenta reeleição e revelou a completa contradição do seu oponente além de dizer que ele entrou com ação na justiça para tentar desmoralizar a polícia no caso do traficante preso.

“Tinha uma referencia que prejudicava o candidato e ele ingressou com ação para tentar desmoralizar a polícia mas já está tudo correto, tudo sério agora está na mão da Policia Federal”, disparou Amazonino.

“O candidato diz uma coisa mas não reflete o que fala é por isso que ele se contradiz é por isso que existem inverdades e mentiras […] são coisas mínimas, pequenas mas que não são dignas de alguém que pleiteia nos governar”, completou.

.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Contato Termos de uso