Bolsonaro diz que não dará indulto na Presidência

Presidente eleito afirma que criminosos têm de cumprir a pena integralmente.
30/11/2018 13h26 - Atualizado em 1/12/2018 14h55

Foto: Reprodução


O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), reafirmou nesta sexta-feira (30) que não dará indultos em seu mandato.

“Já que indulto é um decreto presidencial, a minha caneta continuará com a mesma quantidade de tinta até o final do mandato”, disse, após participar da formatura de 530 sargentos na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) em Guaratinguetá (190 km de São Paulo) .

O indulto presidencial perdoa a punição de certos crimes. O que foi concedido por Michel Temer (MDB) no ano passado está em discussão no Supremo Trinunal Federal.

“Não é apenas a questão de corrupção, qualquer criminoso tem que cumprir sua pena de maneira integral. É isso inclusive que eu acertei com Sergio Moro, indicado para ser ministro da Justiça”, completou.

“Se não houver punição ou se a punição for extremamente branda, é um convite à criminalidade”, disse Bolsonaro. Sobre a indicação para o Ministério do Meio Ambiente, que ainda não foi feita, Bolsonaro disse que há cinco possibilidades e que a preservação ambiental hoje é feita de forma xiita “Tem cinco nomes, todos excepcionais, estão de acordo com aquilo que eu penso sobre Meio Ambiente. Porque nós queremos uma política ambiental para preservar o meio ambiente, obviamente, mas não de forma xiita como é feito atualmente.”

Bolsonaro disse que o Meio Ambiente não pode atrapalhar o homem do campo e que vai acabar com a indústria de multas na área.

Sobre a visita do assessor de segurança da Casa Branca, John Bolton, nesta quinta (29), o presidente eleito disse que ele foi muito bem alimentado — referência aos comentários sobre a austeridade do cardápio. A mesa de lanche tinha banana, danoninho e suco de caixinha.

“Até que enfim o Brasil escolheu um presidente que não odeia os EUA”, disse. Bolsonaro tem o hábito de acompanhar a formatura na escola a cada ano. A EEAR forma sargentos para atuarem na Força Aérea em todo o país.

O presidente eleito estava acompanhado de seus futuros ministros general Augusto Heleno (Segurança Institucional) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), além do senador eleito Major Olímpio (SD-SP). Bolsonaro deixou a EEAR de helicóptero para visitar o Santuário Nacional Aparecida, a 12 km de distância.

O presidente chegou à basílica por volta de 12h50 e permaneceu por cerca de 30 minutos. Houve um isolamento com grades na entrada, mas visitantes que já estavam dentro da igreja puderam vê-lo quando ele passou pela imagem de Nossa Senhora Aparecida. Houve uma prece espontânea dos visitantes pelo presidente eleito. Eles rezaram o Pai Nosso e cantaram “o presidente será abençoado”.

Tanto na EEAR como em Aparecida, presentes se aglomeraram para fotografar o presidente eleito. Bolsonaro foi recebido com aplausos e gritos de mito.

Durante a cerimônia de formatura, falou brevemente: “Parabéns a todos os formandos. Viva a Força Aérea Brasileira. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”.

Fonte: Folha de SP

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso