Dentista é presa suspeita de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro

Segundo polícia, quadrilha teria lucros de R$ 150 mil por mês.
30/11/2018 14h47 - Atualizado em 30/11/2018 14h47

Foto: Reprodução


Agentes da 78ª DP (Fonseca) prenderam, na manhã desta quinta-feira, uma dentista suspeita de integrar uma quadrilha interestadual de tráfico de drogas, crimes contra a saúde pública e lavagem de dinheiro. Dayane Medeiros Boechat, de 23 anos, foi presa em Registro, no interior de São Paulo, em um desdobramento da Operação Eros, que investiga um grupo criminoso responsável por vender medicação de uso controlado e proibida no Brasil através da internet. A atividade renderia lucros de R$ 150 mil por mês para o bando.

Dayane foi presa em sua residência, no bairro Eiji Matsumura. Os policiais cumpriram também mandados de busca e apreensão em outros endereços relacionados a Dayane, naquele município, incluindo o seu consultório dentário.

A dentista é irmã de Bruna Medeiros Boechat, presa no dia 8 de novembro, na primeira fase da operação, em uma ação simultânea deflagrada pela delegacia do Fonseca nos estados do Rio de Janeiro e Paraná, quando foram presos quatro suspeitos de participar da quadrilha.

De acordo com a distrital, a organização criminosa é responsável pelo mais famoso e antigo site brasileiro de venda de medicamentos de uso controlado ou proibido da internet, onde eram anunciados indiscriminadamente uma enorme variedade de remédios, tais como: abortivos, ansiolíticos, estimulantes cerebrais, tranquilizantes, anfetaminas, anabolizantes, inibidores de apetite, antidepressivos, estimulantes sexuais, antibióticos, entre outros.

Segundo as investigações, de São Paulo, a dentista também prestava uma espécie de consultoria para o grupo que comercializava os remédios ilegalmente no portal no ar desde 2006 com clientes em todo o país. Além de Dayane e Bruna, foram presos na operação: Paulo Jardel Cavalcante Espíndola e Flávia Conceição Ermácora e coronel da reserva da PM de São Paulo Antônio Sérgio Marsola.

Bruna e Jardel eram os responsáveis por promover o site e realizar toda a logística de venda, postando as encomendas nas agências dos Correios da cidade de Niterói, na Região Metropolitana. No decorrer das investigações, milhares de caixas de medicamentos e drogas foram apreendidas. Dois veículos, três imóveis e cinco contas bancárias que eram utilizadas pelo esquema criminosos foram sequestrados judicialmente.

Fonte: Jornal O DIA

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso