Dono de escolinha de futebol é investigado por estuprar alunos

O homem de 34 anos usaria treinos individuais como pretexto para cometer os crimes.
13/11/2018 17h22 - Atualizado em 13/11/2018 17h22
Foto: Reprodução

O proprietário de uma escolinha de futebol em Diamantina (MG) está sendo investigado por estupro de vulnerável. Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, W.L.F.S, de 34 anos, usaria treinos individuais como pretexto para cometer os crimes. Os investigadores descobriram a existência de imagens que mostram o treinador cometendo estupro.

Três vítimas prestaram depoimento nesta terça-feira, segundo a delegada Kiria Orlandi, responsável pelo caso. Segundo a polícia, o treinador teria feito pelo menos nove vítimas, mas Orlandi afirma que, pelo modus operandi dele, esse número pode aumentar.

As investigações estão em andamento na Delegacia de Atendimento à Mulher da cidade, que pede que outras vítimas procurem a polícia para denunciarem o proprietário da escolinha.

Um mandado de prisão contra ele foi cumprido na última quarta-feira. Diante das evidências contra W.L.F.S., ele deve continuar preso, disse Orlandi.

O suspeito participava de diversos campeonatos de futebol com as crianças. A Polícia Civil disse que ele tinha uma viagem agendada para o próximo fim de semana para o município de Dom Joaquim, a 168 quilômetros de Diamantina.

Ainda de acordo com a delegada, o modus operandi do suspeito indica que ele possa ter feito várias vítimas ao longo dos 10 anos de funcionamento da escolinha Joga Bonito, que é atrai crianças e adolescentes do sexo masculino. Segundo Orlandi, o proprietário realizava projetos sociais e viagens para campeonatos, mantendo uma boa reputação na localidade.

No entanto, uma das vítimas conseguiu denunciar os crimes de W.L.F.S. A partir de então, a polícia iniciou as diligências. Com um mandado de busca e apreensão, encaminharam equipamentos eletrônicos do suspeito para a perícia analisar se encontra outras imagens.

— Os pais confiavam nesse indivíduo. Ele marcava treinos individuais com a suposta ideia de melhorar o desempenho. A gente acredita haver mais vítimas, incluindo de anos atrás — disse Orlandi.

Só nesta semana, quatro novas vítimas, com idades entre 10 e 13 anos, procuraram a polícia. Uma delas foi ouvida nesta segunda-feira e outras três nesta terça-feira. Mais duas estão agendadas para esta quarta-feira. Na semana passada, foram ouvidas três vítimas.

Fonte: Jornal Extra


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso