Escola é investigada nos EUA após foto de alunos em saudação nazista

Na foto tirada em frente ao tribunal do condado de Baraboo, mais de 50 garotos aparecem de terno com a mão direita levantada, imitando o gesto popularizado pela Alemanha nazista.
14/11/2018 11h43 - Atualizado em 14/11/2018 11h43

Foto: Reprodução


Uma escola no estado de Wisconsin, nos EUA, está sendo investigada depois que uma foto de formatura mostrando alunos da Escola Secundária Baraboo fazendo uma saudação nazista foi publicada nas redes sociais. A postagem, deletada após a repercussão negativa, trazia a legenda “conseguimos até mesmo que o garoto negro fizesse”.

Segundo alguns estudantes, o comportamento representado na foto era comum entre muitos dos jovens que estão na imagem, e na maioria das vezes ficava sem punição. Alisyn Amant contou ao jornal “The Indenpendent” que, ao relatar o comportamento deles para um funcionário da escola, a importância das alegações foi diminuída porque, segundo ele, os estudantes estariam exercendo seu direito à livre expressão.

“Alguns dos garotos na foto são conhecidos na escola por esse tipo de comportamento. No dia seguinte à eleição do Donald Trump, alguns estavam gritando ‘poder branco’ nos corredores e dizendo a alunos estrangeiros que voltassem para seus países”, disse à publicação.

A superintendente do distrito escolar da cidade, Lori Mueller, afirmou que estava investigando o caso.

“A foto dos estudantes postada para o #BarabooProud não reflete os valores educacionais e crenças do Distrito Escolar de Baraboo. Estamos investigando e vamos buscar todas as ações apropriadas, incluindo legais”, contou.

Mueller enviou uma carta aos responsáveis dos alunos afirmando que a foto teria sido tirada na última primavera e ressaltando que os aparentes “gestos inapropriados” não corroboram com a mensagem do distrito escolar.

“O Distrito Escolar de Baraboo é um ambiente livre de ódio no qual todas as pessoas, independentemente de cor, religião, credo, sexo, orientação sexual, identidade de gênero, país de origem ou ancestralidade”, diz a carta.

A polícia de Baraboo afirmou, no Facebook, que estava ciente da foto e estava trabalhando junto do distrito escolar na investigação do caso.

Fonte: Jornal Extra

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso