Juiz bloqueia medida de Trump para limitar solicitações de refúgio

Decisão sai no momento em que caravanas com milhares de latinos tentam entrar nos EUA. Ordem do dia 9 impedia concessão de refúgio a imigrantes ilegais.
20/11/2018 10h44 - Atualizado em 20/11/2018 10h44

Foto: Reprodução


Um juiz federal dos Estados Unidos bloqueou a recente medida ordenada pelo presidente Donald Trump para impedir as solicitações de refúgio aos imigrantes que cruzem ilegalmente a fronteira com o México.

O magistrado do distrito de San Francisco, Jon Tiger, emitiu nesta segunda-feira uma ordem de restrição temporária da regulação do refúgio que entrou em vigor imediatamente e que se estenderá pelo menos até o próximo dia 19 de dezembro, informou nesta terça-feira (20) a imprensa americana.

Para essa data o juiz convocou uma audiência para decidir se emite uma ordem judicial mais duradoura, segundo explicou a emissora “CNN”.

No último dia 9 de novembro, Trump mandou limitar, pelo menos durante 90 dias, as opções para solicitação de refúgio na fronteira sul. Ficou proibida a concessão de refúgio para imigrantes ilegais e determinado que o pedido deve ser feito nos postos do serviço de imigração.

Segundo a proclamação presidencial, a limitação poderia ampliar-se até a assinatura de um acordo com o México que permita aos EUA deportar diretamente ao seu vizinho do sul os imigrantes que cruzam a fronteira ilegalmente.

A ordem de Trump foi muito criticada por grupos de direitos humanos, que consideraram que violava as leis de imigração americanas.

Caravana rumo aos EUA

A decisão do juiz Tiger é divulgada no momento em que milhares de centro-americanos, incluindo centenas de crianças, viajam em caravana para a fronteira dos EUA para escapar da violência nos seus países e que alguns já chegaram a cidade mexicana de Tijuana, na fronteira com o estado da Califórnia.

Nesta terça, o governador da Baja California, Francisco Vega, afirmou que nesse estado mexicano, onde fica Tiujuana, há cerca de 6 mil integrantes da caravana. Vega disse em entrevista à emissora de televisão “Milenio” que em Tijuana, no albergue instalado no ginásio Benito Juárez, estão registradas 2.526 pessoas, enquanto na cidade de Mexicali há 3.435 pessoas.

O escritório de atendimento a migrantes do governo de Baja California informou que até esta segunda-feira foram detidas 34 pessoas integrantes da caravana migrante em Tijuana por crimes contra a saúde, por assédio a mulheres e por alteração da ordem.

Os centro-americanos detidos foram enviados ao Instituto Nacional de Migração, organismo que possivelmente o deportará aos seus países de origem.

Fonte: EFE

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso