Parlamentar britânico revela que tem HIV em discurso na Câmara dos Comuns

No fim de uma fala sobre aceitação, Lloyd Russell-Moyle pede a erradicação da transmissão de novos casos de HIV no Reino Unido; ele foi aplaudido de pé pelos colegas, algo difícil de se ver no Parlamento.
30/11/2018 14h11 - Atualizado em 30/11/2018 14h13

Foto: Reprodução


O parlamentar britânico Lloyd Russell-Moyle, de 32 anos, revelou na quinta-feira, 29, em discurso na Câmara dos Comuns, que ele tem HIV. A fala ocorre às vésperas do Dia Mundial do Combate à Aids, no dia 1º de dezembro, e faz com que ele seja o primeiro parlamentar a fazer tal revelação no Parlamento.

Russell-Moyle afirmou que foi diagnosticado com o vírus aos 22 anos de idade. “No próximo ano será o aniversário de 10 anos desde que me tornei soropositivo para o HIV”, disse o parlamentar do Partido Trabalhista, de oposição. “Foi uma longa jornada do medo à aceitação e hoje de defesa, sabendo que o meu tratamento me mantém saudávele protege o meu parceiro.”

Ele disse que decidiu revelar o caso para ajudar outras pessoas a buscarem tratamento, a lutar contra o estigma da doença e também por causa da data mundial de combate à Aids. “O meu nome talvez apareça nos jornais amanhã (hoje) como o resultado de ser o primeiro parlamentar a se declarar como portador do HIV nesta Câmara”, afirmou. “Nenhuma pessoa diagnosticada deve se sentir menos capaz de aproveitar a vida somente por causa da sua situação.”

Llloyd Russell-Moyle é o segundo membro do Parlamento do Reino Unido a ser diagnosticado com HIV. Chris Smith, um ex-ministro do Partido Trabalhista e o primeiro político britânico abertamente gay, afirmou que tinha HIV em 2005.

“No Dia Mundial de Combate à Aids, eu estarei com a minha comunidade para prestar luto às perdas daqueles que morreram com Aids. Eu estarei lá sabendo que eu viverei a vida que muitos não puderam”, afirmou Russell-Moyle.

“Nós temos a capacidade de erradicar novas transmissões de HIV, assim como o estigma e a discriminação, não apenas aqui, mas no mundo. Eu espero que nós possamos fazer disso a nossa missão”, disse aos colegas parlamentares, que aplaudiram de pé ao final do discurso, algo difícil de se ver no Parlamento.

A chefe-executiva da organização National Aids Trust, Deborah Gold, elogiou o discurso de Russell-Moyle. “Como  um testamento da possibilidade de se viver bem com o HIV, Lloyd dispersou muito um medo infundado”, afirmou. “Ao descrever a sua experiência do diagnóstico, ele fez com que muitas pessoas que sentem medo se sintam normais, humanas e manejáveis.”

Fonte: Reuters

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso