Presidente da Ucrânia decreta lei marcial após impasse com a Rússia

Decisão acontece um dia depois que a Rússia alvejou e capturou três embarcações ucranianas.
26/11/2018 14h53 - Atualizado em 26/11/2018 14h53

Foto: Reprodução


O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, assinou um decreto nesta segunda-feira (26) para implementar a lei marcial por 60 dias, informou comunicado em seu site, embora a medida ainda precise ser aprovada pelo Parlamento para entrar em vigor.

No país, essa lei permite uma série de restrições, incluindo limitações de movimentação e assembleia pacífica, toques de recolher e restrições à mídia, embora o decreto de Poroshenko não faça referência específica a tais medidas.

A decisão acontece um dia depois que a Rússia alvejou e capturou três embarcações ucranianas, aumentando acentuadamente as tensões entre os dois países.

Poroshenko afirmou que a captura dos navios foram uma “nova etapa da agressão russa”.

O Parlamento deve debater o decreto ainda nesta segunda-feira, embora um comitê parlamentar já tenha apoiado unanimemente a implementação da medida em sessão televisionada.

Decreto

Onze medidas listadas no decreto prevêem a mobilização de forças da reserva, a organização da defesa aérea de importantes instalações estatais e a adoção de passos urgentes para aplicar medidas de cibersegurança e garantir a ordem pública.

O decreto não menciona a eleição presidencial marcada para março. A decisão do presidente tem levantado especulação de críticos e opositores de que ele pode usar a lei marcial para adiar a votação.

A décima segunda medida do decreto não foi publicada.

Fonte: Reuters

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso