Homem segura criança de 6 anos para filho agredir

O caso, que ocorreu enquanto as crianças brincavam de bola em uma quadra, é investigado pela Polícia Civil.
14/12/2018 17h21 - Atualizado em 14/12/2018 17h23

Um homem segurou uma menino para o próprio filho agredir em um condomínio fechado, nesse domingo (9), em Brasília. Além disso, a mãe do agressor ainda empurrou a vítima, que caiu no chão. Os suspeitos são pais de uma criança da mesma idade. O caso, que ocorreu enquanto as crianças brincavam de bola em uma quadra, é investigado pela Polícia Civil.

O casal teria entendido que a vítima agrediu seu filho após o menino voltar para o apartamento no qual a família passava o domingo com um inchaço e sangramento na boca. Com isso, o pai da criança desceu até a quadra do prédio, onde a suposta agressão teria ocorrido, e foi tirar satisfações. Testemunhas relatam que o homem segurou os braços da criança para trás para que o filho machucado pudesse dar um soco no rosto da vítima. Logo após, a mãe do agressor teria empurrado o menino.

As imagens foram registradas pelas câmeras de segurança do condomínio. Os vídeos estão com a Polícia Civil para investigação da Delegacia de Proteção da Criança e do Adolescente (DPCA).

Veja o vídeo:

Criança tropeçou sozinha e bateu a boca no chão
Jucinea das Mercês Nascimento, 43 anos, que é tia da criança agredida, disse ao Correio Braziliense que o filho dela, de 9 anos, foi até a quadra para brincar com os três primos. “Estavam todos juntos na quadra, brincando com a bola do meu filho, quando a outra criança tropeçou sozinha na própria bola, caiu e bateu a boca no chão. Algumas adolescentes que estavam lá e o ajudaram e o levaram para os pais”, conta.

A tia acredita que alguém tenha contado aos pais do garoto que teria sido o sobrinho o responsável pelo machucado na boca da criança. “O menino tropeçou sozinho. Mesmo assim, as imagens mostram que o pai desce transtornado, vem puxando o filho pelos braços, entra na quadra de esportes e parte para cima do meu sobrinho”.

Pelas imagens, é possível ver que o pai do garoto caminha até o grupo de crianças. O homem se direciona ao menino, imobiliza os braços dele para trás, e manda que o filho dê um soco no rosto da vítima. Após isso, uma mulher aparece no vídeo, que é a mãe do menino que tropeçou. Ela chega apressada, empurra a vítima, que cai no chão, e depois deixa o local.

“Pelas imagens, a criança inclusive reluta em bater no meu sobrinho, porque, no fundo, sabia que ele não tinha feito nada. As adolescentes que estavam na quadra contaram que a mãe dele gritava muito. Existe até uma suspeita de que bateram com a cabeça do meu sobrinho no chão, quando ele já estava caído”, explica a tia da vítima.

Caso de Polícia
Jucinea registrou boletim de ocorrência na DPCA logo após conseguir as imagens do circuito interno de vídeo. O menino agredido mora com os pais na Bahia e está na cidade para o aniversário do primo, de 9 anos.

De acordo com tia, a mãe do menino chora ao lembrar do caso. “Só tive coragem para contar à minha irmã tudo que aconteceu na segunda-feira. Agora sou eu chorando de cá e ela, de lá. Os meninos não descem mais sozinhos para brincar e, nos momentos em que estão juntos, os escutamos conversando sobre o que poderiam ter feito para salvar o priminho da agressão”, relata.

Reunião no condomínio
Depois do ocorrido, o condomínio convocou uma reunião para esta sexta-feira (14), às 9h30. A conversa será para que os pais da criança que agrediu o menino, que não residem no prédio, não acessem a área até que a situação seja resolvida.

“Hoje estão todos indignados. Pedimos o bom senso dos avós para que os pais não venham aqui nesse período. O avô inclusive pediu desculpas, mas o fato causou um trauma nas crianças e nos adolescentes. Estão todos muito assustados”, conta o síndico presidente do condomínio, Mauro Assunção de Camargo, ao Correio Braziliense. Ele entregou as imagens para a tia da criança agredida. O caso, agora, segue para a investigação na Polícia Civil.

Fonte: BHAZ


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Contato Termos de uso