Governo do Estado apresenta proposta de ação integrada para refugiados em Manaus

A iniciativa vai oferecer abrigo para indígenas e não-indígenas venezuelanos.
12/01/2019 18h30 - Atualizado em 12/01/2019 18h30
Foto: Divulgação

Foi dado o primeiro passo para o resgate da cidadania de indígenas e não-indígenas venezuelanos refugiados em Manaus. A iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), reuniu representantes de órgãos parceiros, como Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) e Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), para apresentar propostas para uma ação integrada. O encontro aconteceu na sede da Sejusc.

Segundo o titular da Secretaria Adjunta de Direitos (Secadj), que faz parte do quadro da Sejusc, João Batista, durante a reunião, os órgãos firmaram compromissos a fim de contribuir para um tratamento internacional adequado para os refugiados. Ele adiantou que a ação integrada tem como meta oferecer um novo abrigo em 30 dias para os indígenas que atualmente estão no entorno do terminal rodoviário de Manaus e em espaços que não têm condições ideais.

“Os índios e não-índios precisam do nosso apoio e já conseguimos avanços. Temos o imóvel cedido pela Seduc, onde vamos construir o abrigo para efetivamente receber os indígenas com o tratamento internacional que eles merecem e respeito à dignidade da pessoa humana, que é um dos princípios-base da democracia brasileira”, afirmou o secretário. “A Sejusc está capitaneando o processo, contando também com os companheiros da Seas, Semasc e Acnur”.

O titular da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), Dante Souza, considerou o encontro um avanço do diálogo entre diferentes secretarias estaduais e órgãos municipais. “Depois dessa reunião, vamos começar a dar passos interessantes e importantes para que nós possamos atender melhor os indígenas venezuelanos em situação de vulnerabilidade”, disse Souza. “Hoje, nós temos pessoas nas proximidades da rodoviária, crianças na chuva, e eu acredito que iremos progredir em relação à situação em que eles vivem. Esse progresso acontecerá em breve”.

O plano de ação de cada secretaria será apresentado nos próximos dias, após a realização de uma visita técnica nos espaços que abrigam os refugiados.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso