Investigação contra deputado Saullo Vianna é encerrada por juiz eleitoral

O juiz disse nos autos que a investigação servirá apenas para “constranger” o deputado.
03/02/2019 13h02 - Atualizado em 4/02/2019 13h01
Foto: Reprodução

Redação AM POST

O deputado estadual, Sallo Vianna (PPS), teve por meio de decisão do juiz da 37ª Zona Eleitoral do Amazonas, Francisco Soares de Souza, decretado a restituição de seus bens, a “nulidade de provas” e o trancamento da investigação.

De acordo com a decisão do juiz Francisco Souza, a ação merece ser anulada e a tramitação da investigação trancada porque as provas contra Saullo Vianna e os demais investigados pela PF (Polícia Federal) e MPF (Ministério Público Federal) foram produzidas por “juízo incompetente”.

O juiz pontua que desde o início a ação deveria ter sido de competência da justiça eleitoral. “O Juízo da 2ª Vara Federal do Amazonas, e outros, é absolutamente incompetente para supervisionar os procedimentos investigativos conexos acima identificados”. Ele ainda pondera que o prosseguimento das investigações servirá apenas para constranger o deputado.

Conforme revelou a jornalista Rosiene Carvalho, as informações serão publicadas no Diário Oficial da Justiça Eleitoral na edição da próxima segunda-feira, dia 4 de fevereiro.

O deputado estadual foi preso no dia 7 de dezembro. A prisão temporária do político atendeu ação do Ministério Público Federal (MPF), em investigação por crimes de corrupção e associação criminosa durante a campanha eleitoral deste ano.

Duas ações judiciais foram apresentadas ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), pedindo a cassação de mandato do deputado estadual Saullo Vianna (PPS). As ações partem do coronel Amadeu Soares (PPS), que é suplente da vaga.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso