Justiça bloqueia R$11,5 milhões de Aécio Neves por voos considerados irregulares quando era governador

Segundo ação, Aécio fez 1.337 voos sem comprovação de interesse público. Defesa do agora deputado federal disse que vai recorrer.
24/02/2019 09h28 - Atualizado em 24/02/2019 09h28

Foto: Reprodução


A Justiça de Minas Gerais determinou o bloqueio de cerca de R$ 11,5 milhões do deputado federal, Aécio Neves (PSDB). De acordo com a decisão liminar da 5ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte, publicada na última quinta-feira (21), o valor é para cobrir um prejuízo causado pelo uso indevido de aeronaves oficiais do estado, na época em que Aécio era governador de Minas.

O agora deputado teria realizado, entre os anos de 2003 e 2010, 1.337 voos sem a comprovação de interesse público, o que para o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), autor da ação, configura crime de improbidade administrativa. De acordo com a decisão, foram 116 voos para a cidade de Cláudio, no Centro Oeste de Minas, onde foi construído o aeroporto alvo de investigação; 138 para a cidade do Rio de Janeiro; e 1.083 para “diversas outras localidades”.

Ainda segundo a decisão, Aécio Neves tem cinco dias para apresentar bens correspondentes ao valor bloqueado.

Em nota, a defesa de Aécio afirmou que vai recorrer, demonstrando, mais uma vez, que todos os voos feitos no período da denúncia estão respaldados em decreto do Gabinete Militar do estado. Ainda de acordo com a defesa, o decreto está em vigor até hoje e regula a utilização de aeronaves do governo em eventos oficiais, ou em outros deslocamentos, por razões de segurança.

Fonte: G1

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso