Medicamentos essenciais para a Saúde estão praticamente zerados em toda a rede pública do Estado, constata deputada

Segundo a deputada Dra. Mayara os números são alarmantes.
11/02/2019 18h32 - Atualizado em 12/02/2019 17h41

Foto: Reprodução


Redação AM POST

Setecentos itens dentre os medicamentos essenciais para a Saúde estão praticamente zerados em toda a Rede Pública do Estado. Foi o que a presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputada Dra. Mayara Pinheiro (PP), constatou durante visita, nesta segunda-feira(11), a Central de Medicamentos do Amazonas(Cema).

Para a parlamentar, é preciso regularizar com urgência o abastecimento, especialmente com remédios básicos como para dor de cabeça e soro.

“Os números são alarmantes; 12% do estoque para três meses, 25% do estoque para um mês, 25% por cento é quase nada. Se a gente for levar em consideração realmente os itens essenciais, é ainda mais impactante. São medicações, insumos que a gente precisa muito no dia a dia, e quando estão em falta refletem diretamente no atendimento ao paciente”, ressaltou a deputada.

O coordenador da Cema, Antônio Peixoto, admitiu que a situação de medicamentos é preocupante. Para se ter uma ideia da gravidade, só com um dos fornecedores para a área de nutrição, a dívida do Estado é de mais de R$ 2 milhões.

“Eu acho que precisa de uma urgência na revisão desses contratos. Precisamos de um controle de estoque mais efetivo. É um atraso muito grande o Amazonas hoje ainda não dispor de um controle de estoque a começar aqui no coração da Saúde que é a Cema. Por isso, a informatização da Susam é fundamental para resolver essa deficiência”, afirmou Dra. Mayara.

*Com informações da Assessoria de Imprensa


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso