Movimento dos Trabalhadores da Saúde diz que terceirização é ineficiente e pede concurso público

De acordo com o Mots a terceirização do setor foi porta de entrada para o maior esquema de corrupção já visto no Estado.
15/02/2019 21h34 - Atualizado em 15/02/2019 21h34

Foto: Divulgação


Redação AM POST

O Movimento Organizado dos Trabalhadores da Saúde do Amazonas (Mots-AM) classificou o sistema de terceirização do setor como cruel, ineficiente e porta de entrada para o maior esquema de corrupção já visto, referindo-se as investigações da operação Maus Caminhos, em nota emitida nesta sexta-feira (15).

De acordo com o movimento a nota é em solidariedade a todos os trabalhadores terceirizados que estão sem receber desde os últimos cinco meses do ano passado.

“Diante desse cenário de crise financeira e institucional queremos declarar o nosso completo repúdio a esse sistema da privatização da saúde, implantado há décadas e passado de governo a governo, deixando uma herança de dívidas que já acumulam um passivo bilionário e um completo desabastecimento, bem como as empresas terceirizadas que vem se alastrando no sistema público”, diz trecho da nota.

O movimento indica que, ao contrários dos associados às cooperativas, os trabalhadores da saúde amargam “congelamento” e baixos salários.

“Um sistema assim, com tantos interesses envolvidos que não os dos USUÁRIOS DO SUS não seria fácil de enfrentar”.

A nota do MOTS pede ainda que trabalhadores e entidades fiscalizem a Saúde, façam críticas construtivas e exige concurso público para o setor.

“Apontamos necessidade urgente de nomear os concursados do concurso vigente, chamada de novo concurso público, salários dignos, infraestrutura adequeada e o constante diálogo entre todos os atores envolvidos na reconstrução da saúde do Amazonas”, afirma o Mots.

Leia a nota na íntegra:


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso