Prefeito Arthur Neto pede ao governo federal a antecipação de vacinas e da campanha contra a gripe

Em Manaus já foram registrados 149 casos, com três mortes confirmadas por H1N1 ou Influenza A.
25/02/2019 15h31 - Atualizado em 25/02/2019 19h45

Foto: Divulgação


Redação AM POST

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, está solicitando ao governo federal a antecipação da Campanha Nacional Contra a Gripe para o início do mês de março e não em abril, como já está prevista. O prefeito quer também que as vacinas sejam antecipadas para o município de Manaus, onde já foram registrados 149 casos, com três mortes confirmadas por H1N1 ou Influenza A.

“Infelizmente, o governo federal não está preparado, ele ainda está importando essas vacinas, quando já deveriam estar estocadas”, disse o prefeito que, apesar da falta de estoque, vai enviar, por intermédio do senador Plínio Valério (PSDB/AM) e por ofício ao Ministério da Saúde, a solicitação das vacinas para aplicar nos grupos de risco.

Ainda nesta segunda-feira, 25/2, segundo o prefeito, o município de Manaus deverá receber do Governo do Estado 10 mil doses do medicamento Tamiflu, utilizado no tratamento das síndromes gripais e que serão distribuídos em 23 unidades básicas de saúde, incluindo rurais e fluviais.

“Conversei com o governador Wilson Lima e ele me confirmou que essas doses serão repassadas ainda hoje”, confirmou Arthur Neto, em entrevista a emissoras de rádio locais, no início desta manhã. O prefeito falou, ainda, de todas as medidas que estão sendo adotadas pela Prefeitura de Manaus para a prevenção e controle das síndromes gripais, sobre a rede de atendimento, sobre os cuidados que a população deve tomar para evitar o contágio, entre outras.

Os primeiros meses do ano são os mais críticos para a ocorrência de infecções respiratórias causadas pelo vírus Influenza A (H1N1) e o vírus Sincicial Respiratório. O monitoramento das síndromes gripais, em Manaus, já detectou 149 casos até o dia 24/2 e quatro óbitos confirmados (duas crianças menores de 5 anos e dois adultos jovens, entre 21 a 35 anos), sendo três ocasionados pelo vírus H1N1 e o outro pelo Sincicial Respiratório. Outros casos de óbitos seguem em investigação. O interior do Estado também confirmou dois outros óbitos (Parintins e Manacapuru). Em 2018, Manaus registrou 162 síndromes gripais e dois óbitos por Influenza, sendo um por H1N1 e H3N2 (Sivep-Gripe).

Durante a manhã desta segunda-feira, em ação conjunta com o governo estadual, a Prefeitura de Manaus vai anunciar todas as medidas que já estão sendo colocadas em prática para o controle da Influenza A (H1N1), por meio do monitoramento e manejo clínico das síndromes gripais. A coletiva será realizada no auditório da Susam, na avenida André Araújo, Aleixo, zona Centro-Sul.

Prevenção
A principal medida de prevenção da doença é a vacinação, que ocorre mediante campanha nacional anualmente. Em 2018, o município de Manaus conseguiu alcançar a meta em três grupos prioritários: idosos, puérperas, indígenas e professores, superando 90% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Os demais grupos, tais como crianças, gestantes e profissionais de saúde ficaram abaixo da meta prevista, totalizando 88,45%. Este ano, por determinação do Ministério da Saúde, a campanha está prevista para o mês de abril.

Diante da reintrodução de doenças imunopreveníveis, faz-se um alerta aos pais ou responsáveis por crianças para atualização da situação vacinal de todos os imunobiológicos nas 183 salas de vacinas disponibilizadas pela prefeitura. Inclusive, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), preventivamente, já recomendou aos pais ou responsáveis de alunos da educação básica, que apresentem até o mês de maio a situação vacinal atualizada de todas as crianças e adolescentes matriculados na rede municipal.

*Com informações da Assessoria de Imprensa


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso