Secretário de saúde pode responder ao MP por desobediência e ser multado por não cumprir meta de medicamentos

O prazo dado pela Justiça Federal para a Susam regularizar estoque de medicamentos venceu na quinta-feira (14). Enquanto isso, pacientes sofrem.
16/02/2019 16h59 - Atualizado em 17/02/2019 13h18

Foto: Divulgação


Redação AM POST

O secretário de saúde, Carlos Almeida, pode responder por desobediência e ser multado pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal (MPE/MPF) caso seja constatado o descumprimento da regularização no estoque de medicamentos dos hospitais do Amazonas. O prazo dado pela Justiça Federal para a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) venceu na quinta-feira (14).

Segundo o Ministério Público, até o momento pouca coisa mudou, e a saúde do Estado está em situação caótica, com a falta de medicamentos no estoque e os pagamentos atrasados de funcionários. Uma fiscalização nos principais hospitais de Manaus, será feita pelas promotorias na próxima semana para verificar se a meta foi cumprida pelo menos minimamente.

De acordo com os órgãos a justifica da atual administração de jogar a culpa do cão na saúde em gestões anteriores não é aceita. Mais transparência do titular da Susam, Carlos Almeida, também é motivo de cobrança do MP.

Em nota, a Susam informou que considera o prazo de dez dias de “difícil execução para uma situação que já vem de muitos anos”. A pasta citou ainda a burocracia do setor público e dificuldades logísticas, como fornecedores de fora do Estado. De acordo com o comunicado, a conclusão do abastecimento será na primeira quinzena de março.

*Com informações do G1


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso