Secretários da saúde, educação e casa civil são convocados por deputado para dar explicações sobre falhas em suas administrações

A convocação foi feita, por meio de requerimento protocolado nesta terça-feira (12).
12/02/2019 17h07 - Atualizado em 12/02/2019 17h40

Foto: Reprodução


Redação AM POST

A falta de leitos e medicamentos nos hospitais, contratos da educação sem licitação, contratação de buffets no valor de R$ de 1,2 milhão terão que ser explicados pelos secretários de Estado de Educação e Qualidade de Ensino do Amazonas (Seduc), Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e da Casa Civil aos deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam). A convocação foi feita, por meio de requerimento protocolado, na manhã desta terça-feira (12), pelo deputado estadual Wilker Barreto (PHS).

O humanista que é líder da oposição no parlamento estadual, solicita do secretário da Susam e vice-governador, Carlos Almeida, a previsão para o reabastecimento e reposição do estoque de remédios, informações sobre procedimentos licitatórios, assim como os leitos disponíveis na capital. No documento, diretores de unidades hospitalares também foram convocados.

“Eu queria estar parabenizando o Governo por repor os estoques vitais e eu não quero aqui ganhar no discurso, pois se assim for, quem perde é a população. Os números que eu trouxe são reais e até a presente data ninguém questionou nenhuma informação que foi passada por mim. Entreguei em mãos à base do Governo os itens específicos dos medicamentos que estão faltando no 28 de Agosto, pois o que me preocupa é o tempo que falta para que esses itens vitais possam chegar. Eu faço um questionamento pontual: se nesse exato momento os hospitais de emergência e urgência conseguem atender perfeitamente”, disse Wilker.

No último final de semana, Barreto alertou que o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto (Av. Mário Ypiranga, 1581 – Adrianópolis) não têm 52 itens essenciais de medicamentos. Desses, um total de quatro são considerados vitais para pacientes, ou seja, indispensáveis para um tratamento. Além disso, o parlamentar ainda identificou que 23,60% de medicamentos essenciais estão zerados na Central de Medicamentos do Amazonas (CEMA) e, que deste montante, 3,75% correspondem a medicamentos vitais. Este último número equivale a uma relação de 60 itens em estoque zero.

Contrato sem licitação
No requerimento, o secretário da Seduc, Luiz Castro, terá que explicar a contração sem licitação da empresa Bringel Medical Distribuidora de Medicamentos LTDA, que vai prestar serviços odontológicos em unidades móveis e consultórios instalados nos Centros Estaduais de Tempo Integral (CETI’s). Da Casa Civil, Wilker Barreto convoca o secretário, Leandro Benevides, para dar informações sobre a necessidade do quinto termo aditivo no valor de R$ 1.295.293,80 para a contratação de serviços de buffet.

“A emergência está ficando uma prática neste Governo. A saúde, a educação, todos estão entrando em emergência e precisam de ações rápidas para sanar o caos. O que eu peço é ser informado e poder passar isso à população. Necessito de explicações, de documentos, de prazos. Trabalho com isso, com a realidade, e o que eu vejo, e o que está chegando a mim, é um verdadeiro colapso”, frisou o parlamentar.

*Com informações da Assessoria de Imprensa


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso