“Será que o governador Wilson Lima está fazendo estágio com o Maduro?”, questiona Wilker Barreto após ter sido barrado no HPS 28 de Agosto

O deputado convocou o secretário da Susam e o diretor do hospital para que expliquem motivo de cerceamento.
25/02/2019 15h11 - Atualizado em 26/02/2019 12h59

Foto: Divulgação


Redação AM POST

O deputado estadual Wilker Barreto (PHS) protocolou na manhã desta segunda-feira (25/02), um requerimento junto à Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) solicitando a presença do secretário de Saúde do Amazonas (Susam), vice-governador Carlos Almeida, e do diretor do Hospital 28 de Agosto, Eduardo Mesquita Jr, para que expliquem o colapso na saúde no Amazonas e que conheçam as prerrogativas da função de um deputado estadual.

Wilker lamentou o ocorrido, em pronunciamento, durante a sessão compensatória, e anunciou a convocação do secretário e diretor, após ter o seu direito de parlamentar cerceado, enquanto tentava fiscalizar o quantitativo de remédio no Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto, na zona Centro-Sul de Manaus. Seria a terceira vez que o parlamentar iria fiscaliza a unidade.

“Quando você barra um cidadão de entrar em um hospital é vergonhoso, quando você barra um parlamentar no seu exercício das suas funções é um atentado à democracia. Será que o governador Wilson Lima está fazendo estágio com o Maduro? (presidente da Venezuela, acusado de crimes contra a humanidade cometidos pelo regime ditatorial)”, indagou o presidente.

“Lembro que um parlamentar só foi cerceado no tempo do regime de força. Protocolei o documento para que eles entendam que a prerrogativa de fiscalizar cabe ao Legislativo Estadual, e na oportunidade, se eles tiverem coragem, que informem porque até a presente data a saúde não tem o mínimo de remédio na ponta. Será uma vergonha se esta casa não se posicionar para que os convocados venham prestar informações”, bradou o parlamentar.

Ainda em tom crítico e profundamente decepcionado com o caos na saúde, Wilker criticou o repasse de aproximadamente R$ 6 milhões para o Carnaval, enquanto as unidades de saúde do interior encontram-se desabastecidos e inoperantes.

“Vidas estão sendo ceifadas. Para mostrar que o governo é tão irresponsável, tem seis milhões para o carnaval enquanto os hospitais estão sem medicamentos. É o governo que mata seu povo de forma silenciosa”, afirmou.

Apoio integral
Durante a sessão compensatória, o deputado estadual Wilker Barreto recebeu apoio de vários parlamentares. Entre eles, Serafim Correa (PSB/AM), Alessandra Campelo (MDB), Therezinha Ruiz (PSDB), Mayara Pinheiro (PP), Joana Darc (PR) e demais pares.

“Faço questão de manifestar meu apoio ao deputado Wilker Barreto. Como parlamentar, eleito pelo povo, deve poder adentrar em qualquer espaço mesmo estando na oposição, isso sem dúvida alguma. Fui no Hemoam, por exemplo, e fui muito bem recebida. Para todos devem ser assim”, destacou Therezinha. No sábado, a Aleam repercutiu nota oficial sobre o assunto.

Pelas redes sociais, o humanista também recebeu mensagens solidárias. “Impediram um parlamentar de exercer sua função precípua”, disse o deputado Delegado Péricles (PSL). A vereadora Glória Carrate (PSD) também manifestou seu respeito. “Usei a tribuna da Câmara Municipal de Manaus para dar o meu apoio ao deputado Wilker Barreto que foi barrado pela segurança. Não podemos permitir que casos assim se repitam. Repudio essa arbitrariedade”, disse Carrate.

*Com informações da Assessoria de Imprensa


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso