Funcionário do TCE é acusado de estuprar ex-enteada

A jovem de 18 anos afirma que os abusos começaram em abril de 2016 quando ela tinha 16 anos.
07/03/2019 17h47 - Atualizado em 8/03/2019 13h36
Foto: Reprodução

Redação AM POST*

O radialista, Adson Vitor Costa de Matos, que trabalha como assessor de um conselheiro do Tribunal de Contas (TCE-AM), foi acusado de estuprar sua ex-enteada, uma jovem de 18 anos.

A jovem prestou depoimento na Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca) em dezembro de 2018 e afirmou que os abusos começaram em abril de 2016 quando ela tinha 16 anos.

Segundo a jovem após ser tocada pelo suspeito ela ficou traumatizada, tentou suicídio e passou a ter acompanhamento psicológico. Mas o então padrasto cancelou o tratamento e ela piorou, passou a se mutilar e a cortar o cabelo para parecer feia.

Ela afirma que decidiu denunciar por temer que aconteça o mesmo com seu irmão, filho de Adosn com a mãe da jovem.

No relatório da investigação a conclusão é que a vítima possui sintomas pós-traumáticos compatíveis com vítimas de abuso sexual.

A delegada Joyce Coelho Viana, responsável pelas investigações afirma estar convencida de que há índicos de autoria e materialidade do crime contra a jovem.

Adson Matos foi indiciado pelo crime e por enquanto vai responder as acusações em liberdade. Um inquérito policial foi enviado na última terça-feira (5) a justiça e agora o Ministério Público do Estado (MPE) vai decidir se oferece ou não denuncia contra o acusado para que ele seja processado pelo crime.

De acordo com a defesa do radialista ele está tranquilo e as provas para comprovar sua inocência estão sendo providenciadas.

Mãe denuncia
Nas redes sociais a mãe da jovem, Andreia Ferreira, publicou texto falando de sua conturbada relação com Adson e disse que ele tenta lhe calar. “Devido suas influências ele tenta de todas as formas me calar mas não tenho medo dele e de ninguém que esquenta as costas dele”, contou.

A mulher também relata no texto porque se separou do radialista. “Passou janeiro de 2018 já estava pra explodir, em fevereiro não deu mais, não bastava tudo descobri que ele é bissexual aí pra mim deu, não suportei mais viver na mesma casa que ele. Me senti humilhada, me senti usada, manipulada para que ele pudesse mostrar para a sociedade que tinha uma família e negar as suas reais preferências, negar quem ele era de verdade”, disse.

⚔️QUEM PODER COMPARTILHAR AGRADEÇO ⚔️Meu nome é Andreia A. Ferreira tenho 36 anos .Sou mãe de K.F.F.J. E de V.E.F.M….

Posted by Andreia Ferreira on Wednesday, March 6, 2019

*Com informações do Jornal do Amazonas 2ª edição


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso