Áudio vazado revela que greve dos professores foi usada pelo PCdoB para tentar negociar cargos no Governo

No áudio, uma professora diz que grande parte dos professores já decidiu voltar à sala de aula porque não querem ser “massa de manobra”.
13/05/2019 12h22 - Atualizado em 13/05/2019 19h28
Foto: Reprodução

Um áudio que circula nas redes sociais nesta segunda-feira (13) revela que o Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Amazonas (Sinteam) usou a greve dos professores para tentar negociar cargos para integrantes do PCdoB no Governo do Amazonas.

No áudio, uma professora diz que grande parte dos professores já decidiu voltar à sala de aula porque não querem ser “massa de manobra”.

“Quem tava por trás deles era a Vanessa Graziottin, que estava, na verdade em busca de cargos no governo”, diz um trecho do áudio que revela que, por esse motivo, Ana Cristina presidente do Sinteam, não quis unificar o movimento grevista como pedia a Asprom Sindical.

“Então muitos professores já sabem dessa informação e não querem ser massa de manobra do Cléber e da Ana Cristina, que não quis unificar os movimentos porque ela quer respeitar o partido dela e o partido dela disse que não era pra ela unificar os movimentos. Então muitos professores estão voltando pra sala de aula e vão enfraquecer o movimento. Muito provavelmente na terça-feira nossa greve vai acabar”, diz a professora.

Rejeitado nas urnas nas últimas eleições, o PCdoB é um aliado de longa data do Sinteam e precisa de sobrevivência política no Amazonas. A presidente do Sinteam, Ana Cristina, em matéria recente publicada no site do partido, chegou a ser convidada para mesa de honra ao lado de dirigentes da sigla.

Em nota a direção do Siteam negou a veracidade do áudio. “Não existem representações partidárias dentro dos organismos do sindicato, embora sejam respeitadas as escolhas partidárias que as pessoas como indivíduos façam, aliás esse direito é garantido na Constituição Federal do Brasil”, disse em nota.

Ouça o áudio 


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso