Manifestantes continuam protesto contra cortes na Educação nesta quarta (15) em Manaus

Cerca de três mil pessoas estão participando da manifestação na tarde de hoje.
15/05/2019 17h53 - Atualizado em 16/05/2019 07h04
Foto: MÁRCIO SILVA

Redação AM POST

Manifestação contra o bloqueio de recursos nas universidades federais anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) continua na tarde desta quarta-feira (15) em ato realizado na Praça da Saudade, no Centro de Manaus que deve seguir pelas avenidas Epaminondas, Sete de Setembro e Eduardo Ribeiro.

Participam do ato professores e servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) e do Instituto Federal de Educação, da Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), dos campus centro e zona leste. Eles carregam cartazes e gritam palavras de ordem contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

De acordo com estimativa da Polícia Militar mais de três mil pessoas aproximadamente estão participando da manifestação na tarde de hoje (15).

Servidores estaduais da educação, que já estão em greve há 30 dias, também estão realizando protesto na praça da Polícia, no Centro de Manaus. A categoria pede 15% de reajuste salarial e o governo do Estado ofereceu 4,73%.

Pela manhã alunos e servidores da Ufam protestaram debaixo de chuva em frente ao campus, na Av. General Rodrigo Otávio, no bairro Japiim, zona Sul de Manaus. Eles saíram em passeata até a Bola do Coroado e retornaram ao ponto de partida.

Brasil
Todos os estados e o Distrito Federal registraram, nesta quarta-feira (15), manifestações contra o bloqueio de recursos para a educação. Houve atos em ao menos 180 cidades. Universidades e escolas também fizeram paralisações após convocação de entidades ligadas a sindicatos, movimentos sociais e estudantis e partidos políticos.

Resposta de Bolsonaro
Bolsonaro afirmou em Dallas, que não gostaria de contingenciar verbas, mas que isso é necessário. Ele também declarou que os manifestantes são “massa de manobra de uma minoria espertalhona”.

“A maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”, afirmou Bolsonaro nesta quarta, durante visita ao Texas (EUA).


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso