Prefeito Arthur é atacado por Rotta em programa de TV por não apoiar decreto de Bolsonaro

O motivo da dura crítica foi o fato do prefeito ter se posicionado contra a posse de armas no Brasil.
16/05/2019 09h45 - Atualizado em 16/05/2019 18h02
Foto: Reprodução

Redação AM POST

O prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB) foi criticado nessa quarta-feira (15) por seu vice, Marcos Rotta (sem partido), que é apresentador do programa Exija Seus Direitos, exibido pela Band Amazonas.

O motivo da dura crítica foi o fato do prefeito ter se posicionado contra a posse de armas no Brasil. Vídeo do ataque de Rotta circula pelas redes sociais.

Arthur Neto criticou na segunda-feira (13) o decreto federal que viabiliza o porte de armas para cidadãos comuns.

“Eu pago para o Estado me proteger. Esse decreto, que considero inconstitucional, julgo que vai morrer. O próprio presidente Bolsonaro sabe disso”, afirmou o prefeito.

Ataque
“O que eu não acho certo são algumas pessoas que têm segurança armada 24 horas por dia, policiais civis e policiais militares, pessoas que moram em condomínio fechado,  como é o caso do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, ser contra o decreto do presidente Bolsonaro”, disparou o vice-prefeito.

“Falar de decreto de desarmamento assim é muito fácil. Aliás, eu diria mais, eu diria que é um factóide para encobrir outros tipos de problemas que estão acontecendo na cidade de Manaus”, disse Rotta.

Decreto
O decreto editado na última quarta-feira (8) pelo presidente Jair Bolsonaro não só facilita o porte de armas como permite que equipamentos de uso restrito das polícias militares, da Polícia Federal e do Exército sejam agora comprados – e usados – por pessoas que cumprirem os requisitos.

O decreto facilita o porte para um conjunto de profissões, como advogados, caminhoneiros, políticos eleitos, conselheiros tutelares, moradores de áreas rurais, jornalista policial e agentes de trânsito, dentre outras. O direito ao porte é a autorização para transportar a arma fora de casa ou do ambiente de trabalho.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso