Wanderley Modesto diz que vai acionar a justiça contra série da Netflix por uso de sua imagem

Ele trabalhou no programa programa Canal Livre e disse que a produtora responsável pelo documentário sobre o caso Wallace, ‘foi sensacionalista’ e está prejudicando sua imagem.
01/06/2019 15h25 - Atualizado em 2/06/2019 14h52

Foto: Reprodução


Redação AM POST

O repórter policial Wanderley Modesto, que trabalhou no programa programa Canal Livre, afirmou que vai buscar seus direitos na Justiça, após ter sua imagem exibida na série-documentário “Bandidos Na TV”, lançada na sexta-feira (31) pela Netflix e que conta a história do ex-deputado Wallace Souza, acusado de envolvimentos com milicias, e de mandar matar criminosos para exibir em seu programa, no intuito de liderar audiência. A informação foi divulgada pelo Portal Em Tempo.

De acordo com Wanderley não foi pedida sua autorização para divulgação de sua imagem na atração e quando foi convidado pela produção da série para dar depoimentos sobre o caso Wallace, não aceitou. “Eu tenho minha família e uma conduta exemplar. Nunca fui preso, nunca briguei, não quero fama, apenas trabalhei para ter meu salário. Estou conversando com advogados”, disse.

O ex-repórter do Canal Livre também disse que a produtora Caravan, responsável pelo documentário, ‘foi sensacionalista’ e está prejudicando sua imagem.

Leia a matéria completa AQUI.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso