Deputado é acusado de agredir militante em reunião do PDT e briga vira caso de polícia em Manaus

Procurado Adjuto Afonso disse que não houve agressão física apenas ‘uma discussão acalorada’ em reunião do PDT.
09/08/2019 17h50 - Atualizado em 10/08/2019 19h17

Foto: Reprodução


Redação AM POST –

O assessor parlamentar e agitador cultural Paulo Onofre Lopes está acusando os pedetistas deputado estadual Adjuto Afonso e seu filho, o vereador Diego Afonso de tentativa de agressão em reunião ocorrida na noite da última quinta-feira (8) na sede do Partido Democrático Trabalhista (PDT), na avenida Ayrão, Praça 14, zona Sul de Manaus.

O caso foi parar no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde o militante registrou Boletim de Ocorrência (B.O) em que também relata ter sofrido ameaças por parte dos seguranças dos parlamentares.

De acordo com Onofre o conflito ocorreu após o deputado e seu filho não aceitarem bem críticas dos correligionários ao fato de Adjuto ter votado a favor do projeto de lei que congela o salário dos servidores públicos do Amazonas até 2021. O militante também afirma que outras pessoas que estavam na reunião do PDT foram ofendidas pelos parlamentares.

Procurada a assessoria de imprensa de Adjuto Afonso informou, por meio de nota ao Portal AM POST, que não houve agressão física apenas ‘uma discussão acalorada’ entre ele e Paulo Onofre ocasionada porque o militante pediu esclarecimentos sobre o voto do deputado na Aleam favorável ao governo do Estado. O deputado então rebateu com questionamento do fato dele não ser filiado ao PDT e sim ao PSOL.

Leia nota na íntegra:
O Sr. Paulo Onofre registrou um BO, mas não houve agressão física. No próprio BO não cita agressão em vias de fato, e sim, uma suposta tentativa de agressão, o que também não procede.

Ontem, durante reunião do partido, foi colocado em pauta um pedido de esclarecimento ao deputado sobre decisão dele durante uma votação na Aleam. O pedido foi feito pelo Sr. Paulo Onofre.

Porém, o deputado questionou o fato do Sr. Paulo não ser sequer filiado ao partido. Ele não é do PDT, ele é filiado ao PSOL, portanto, não pode solicitar nada pelo PDT, nem fazer parte da diretoria.

O Sr. Paulo não gostou quando foi colocado em pauta esse fato, então teve início uma discussão acalorada entre eles, mas que não chegou às vias.

O deputado estava acompanhado apenas de seus assessores, que são filiados ao partido. O deputado jamais teve seguranças, ele é até contra essa prática de andar com seguranças.

Veja o B.O registrado por Paulo Onofre:


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso