Mensagem de Dallagnol que cita ”tom do meu último peido” viraliza nas redes sociais

O trecho dos diálogos, revelados nesta segunda-feira (12), acabou virando motivo de piada na internet.
13/08/2019 09h06 - Atualizado em 13/08/2019 09h06
Foto: Reprodução

Em uma das conversas atribuídas a procuradores da Lava-Jato divulgada pelo site The Intercept, o coordenador da força-tarefa da operação em Curitiba, Deltan Dallagnol, teria escrito a frase “foi o tom do meu último peido”, em um provável erro de digitação ou resultado do corretor automático. O trecho dos diálogos, revelados nesta segunda-feira (12/8), acabou virando motivo de piada na internet.

As mensagens fazem parte de uma nova reportagem do site, segundo a qual Dallagnol e outros procuradores da Lava-Jato teriam usado o grupo Vem Pra Rua e o instituto Mude para pressionar o Supremo Tribunal Federal (STF) e o governo.

Em um chat privado, em 1° de fevereiro de 2017, a procuradora Anna Carolina Resende teria sugerido a Dallagnol falar com o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), para que este ingressasse na Segunda Turma da Corte para se tornar relator da Lava-Jato, no lugar de Teori Zavaschi, que acabara de morrer. “(Edson) Fachin (que se tornaria o relator) não é ruim, mas não é bom como o Barroso”, escreveu a promotora.

Dallagnol respondeu, então, que insistiu com Barroso, mas que esse resultado era improvável. O procurador também pede para que Resende não comente o assunto com ninguém, e ela concorda, respondendo que só pediu porque o assunto seria definido naquele dia. É neste momento que Dallagnol teria escrito: “Foi o tom do meu último peido”, provavelmente querendo dizer pedido.

Ao publicar as supostas mensagens, o site The Intercept diz que divulga o material na íntegra e que nem erros de digitação ou de português são corrigidos. Outros erros de grafia ou digitação já foram publicados antes, mas nenhum rendeu tantos memes e piadas como este.

https://t.co/9xLHrfViLk

https://t.co/fVIaZRoYMc

Fonte: Correio Braziliense


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso