Bolsonaro afirma que ainda não apoia nenhuma pré-candidatura a prefeito para 2020

“Quem se lançou candidato até o momento candidato a prefeito e diz que está com o meu apoio, está mentindo”, disse ele em entrevista à youtuber Antonia Fontenelle.
03/09/2019 17h42 - Atualizado em 4/09/2019 13h03

Foto: Reprodução


Redação AM POST*

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que ainda não apoia nenhum nome para prefeito nas eleições de 2020, em entrevista à atriz e youtuber Antonia Fontenelle, apoiadora do presidente nas redes sociais, gravada na sexta-feira, 30, e divulgada nesta segunda-feira, 2.

Bolsonaro afirmou que está negociando com o PSL para apoiar algumas candidaturas a prefeito em 2020. “Estou acertando com o partido. Ver se consigo ter a maioria das ações. Se eu tiver, quero me empenhar por algumas prefeituras. E quem vai escolher (o candidato), democraticamente, vou ser eu. O partido local vai ter sua participação, mas palavra final vai ser nossa”, disse. O presidente afirmou que ainda não apoia nenhum nome. “Quem se lançou em qualquer local, já começou errado. Essa precipitação nos atrapalha”, finalizou.

Em Manaus foi noticiado por um blog local que Bolsonaro estava apoiando a pré-candidatura do empresário Romero Reis. “Português claro: quem se lançou candidato até o momento candidato a prefeito e diz que está com o meu apoio, está mentindo; e alija do mapa esse candidato, que já começou errado”, disse o presidente.

Cultura
Na entrevista à youtuber, Bolsonaro voltou a criticar o financiamento público de filmes e séries com temática LGBT. O presidente disse que é preciso “tirar” dos órgãos públicos pessoas que “não aprovam” filmes com “temática do nosso lado”. “O tempo vai fazer a gente descontaminar esse ambiente para a boa cultura no Brasil”, disse.

“Mudou o governo. Não é mais o PT, onde a família era um lixo, onde os valores familiares não valiam nada. Tá na Constituição: o que é família? Homem e mulher. Tá escrito lá. Emende a Constituição e a gente vê como fica. Como sou cristão, vai ter de apresentar uma emenda à bíblia também”, declarou o presidente.

Moro
O presidente também disse que o desgaste com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, por suposta interferência na Polícia Federal foi “algo artificial” e “potencializado” pela imprensa.

“Eu sugeri um nome (para a superintendência do Rio de Janeiro) e ele (Moro) apareceu com outro. Ficou num impasse. Eu poderia impor. Não quero me impor. Na reta final, pode botar aquele que o diretor-geral da Polícia Federal (Mauricio Valeixo) quer, sem problema nenhum. Acabou vazando isso aí dizendo que eu tava (sic) interferindo na PF. Foi algo artificial”, disse Bolsonaro

Bolsonaro e Moro já deram sinais de trégua na última semana, quando trocaram afagos em evento no Planalto de lançamento de uma série de medidas na área de segurança.

*Com informações do Estadão Conteúdo


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso