Investigado por supostamente empregar funcionário fantasma em seu gabinete, Adjuto Afonso nega acusação

Segundo deputado ele possui 40 servidores mas desconhece que algum deles seja fantasma.
24/09/2019 15h58 - Atualizado em 25/09/2019 13h31

Foto: Divulgação


Redação AM POST*

O deputado estadual Adjuto Afonso (PDT) está sendo alvo de investigação do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) por supostamente empregar funcionário fantasma em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam). conforme o MP-AM, a prática pode configurar improbidade administrativa.

A promotora titular da 46º Promotoria de Justiça Especializada na Proteção do Patrimônio Público, Sheyla Dantas Frota, instaurou um procedimento preparatório para apuração. Portaria foi publicada no Diário Oficial Eletrônico do MP-AM de segunda-feira (23) e mostra que a suposta irregularidade teve entrada no MP no ano passado.

Adjuto Afonso afirmou na manhã desta terça-feira (24) que ficou sabendo da investigação por meio de um blog local e que ainda não foi notificado pelo órgão mas pediu para seu advogado se inteirar do caso.

O parlamentar negou que exista funcionário fantasma em seu gabinete de 40 servidores e disse que vai colaborar com as investigações.

De acordo com Adjuto Afonso esses 40 funcionários não ficam todos alocados na Assembleia Legislativa. “Não significa que eles ficam todos no gabinete. Não teria condições de comportar. Nós temos várias pessoas que trabalham em bairros ou em gabinetes de apoio. Por exemplo, este reúne 12 pessoas. Todos os deputados usam a quantidade de pessoas (servidores) que se permite na Assembleia e essas pessoas prestam serviços em bairros e no interior”, explicou.

Veja portaria publicada pelo MP-AM:


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso