Professores poderão dar aula armados em escolas da Flórida

Os funcionários que aderirem ao programa precisarão passar por exames de drogas, exame psicológico e realizar treinamento durante o total de 144 horas.
30/09/2019 12h33 - Atualizado em 30/09/2019 12h33

Foto: Reprodução


Um polêmico projeto que permite que professores usem armas em escolas, para responder a possíveis tiroteios, entrará em vigor nesta terça-feira (1) na Flórida, nos Estados Unidos.

O programa Guardian (Guardião, em inglês), foi criado após a tragédia na escola Marjory Stoneman Douglas High School, em Parkland, ocorrida em fevereiro de 2018, em que 17 pessoas morreram, entre estudantes e professores.

Até hoje, apenas funcionários especializados poderiam estar armados ou então era necessária a contratação de seguranças. No entanto, o Legislativo estadual ampliou a possibilidade para os professores, em projeto que teve apoio do governador da Flórida, Ron DeSantis.

Os funcionários que aderirem ao programa precisarão passar por exames de drogas, exame psicológico e realizar treinamento durante o total de 144 horas.

O Guardian faz parte de recomendações de segurança para escolas, projetado a partir das falhas detectadas na escola de Parkland, no norte de Miami. No início do ano passado, Nikolas Cruz abriu fogo com um rifle AR-15, disparando em professores e alunos.

Além de professores e outros profissionais armados, a lei aprovada em 2018 aumenta a idade mínima para adquirir uma arma, de 18 para 21 anos. Ela também impõe um período de espera de três dias para a maioria das compras de armas de longo alcance.

*Com informações da agência EFE


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso