Primeira-dama diz que seu filho não matou o engenheiro Flávio Rodrigues

Ela falou pela primeira vez sobre o caso em coletiva de imprensa e afirmou que seu filho é tão vítima quanto Flávio.
02/10/2019 20h49 - Atualizado em 3/10/2019 13h33

Foto – Mário Oliveira / Semcom


Redação AM POST

A primeira-dama do município de Manaus, Elisabeth Valeiko Ribeiro, disse que seu filho, Alejandro Molina Valeiko, não matou o engenheiro civil Flávio Rodrigues dos Santos, de 42 anos, que foi encontrado morto em um terreno no Tarumã, zona oeste da capital, após participar de uma festa na casa do filho dela, localizada no Condomínio Residencial Passaredo, na Ponta Negra, área nobre de Manaus.

Elisabeth falou pela primeira vez sobre o caso em coletiva de imprensa, ocorrida na noite desta quarta-feira (2), onde defendeu Alejandro e revelou que ele está internado em uma clínica de reabilitação por ser dependente químico. “Eu quero deixar algo muito claro: o meu filho está doente e não é assassino. Ele não matou ninguém”, declarou.

A esposa do prefeito Arthur Neto, afirmou que estar profundamente triste e que seu filho é tão vítima quanto Flávio. “Eu falo em defesa de todos que hoje, de alguma forma, são dependentes químicos. O Alejandro é tão vítima quanto o Flávio, quanto o Júnior, e o Magno. E o que me entristece, profundamente, é a maldade e a mentira”, disse ela citanto o nome de outros rapazes que estavam no local do crime.

Valeiko também manifestou solidariedade a mãe da vítima e do rapazes que citou. “Eu também preciso entender o que aconteceu naquela noite. Eu sou muito solidária à mãe do Flávio, porque eu sou igualzinha à mãe do Flávio, igual à mãe do Júnior e à mãe do Magno. Eu falo com um pouco de dificuldade, porque eu nem sei quem são os meninos. Naquele momento eu fui e o meu filho estava sangrando com uma coronhada. Ele levou uma coronhada na cabeça e o Júnior estava lá. E o que eu pude falar foi o que o Júnior me falou. Todos estavam numa rave e usaram drogas” contou.

O caso está sendo investigado pelo delegado Aldeney Góes, titular do 19° Distrito Integrado de Polícia e a primeira-dama disse confiar nas investigações.

“Eu vou aguardar as investigações, o delegado tem sido uma pessoa extremamente séria, serena e muito correta ao passar informações, e não podemos neste momento ficar tirando suposições”, pontuou.

Ela também lamentou a politização do caso e falou sobre nota do prefeito Arthur em defesa do enteado publicada nas redes sociais na manhã de terça-feira (1º), depois da repercussão do crime.

“Eu sou uma mãe que estou sofrendo há 10 anos. E vou falar das coisas boas. Teve um lado ruim, que você [um dos repórteres] falou ‘contamina politicamente’. É incrível como as pessoas estão preocupadas com isso que você falou, porque o meu marido, e hoje ele é prefeito, ele fez o papel de marido. Foi muito justo o que ele fez. O Arthur foi o homem que eu escolhi para viver comigo. O que tem haver com a doença do meu filho? Tem por sentimentos. Ele é uma pessoa que tem feito o trabalho dele nessa cidade, uma gestão maravilhosa, uma gestão que ninguém tem nada o que falar e está sendo um bom marido. Talvez isso esteja sendo erro dele”, afirmou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso