Seis investigados por pirâmide financeira na Unick têm prisão preventiva decretada

PF apreendeu bens, carros e dinheiro ligados à financeira, suspeita de movimentar R$ 40 milhões por dia. Vítimas do esquema de pirâmide relatam dívidas de até R$ 500 mil.
26/10/2019 15h54 - Atualizado em 27/10/2019 13h08

Foto: Divulgação/PRF


A Justiça Federal decretou, na noite de sexta-feira (25), a prisão preventiva de seis suspeitos de envolvimento em uma financeira ilegal em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Na semana passada, nove investigados foram presos temporariamente. Um suspeito, que tinha mandado de prisão, não foi localizado. Dessas 10 pessoas, seis tiveram agora a conversão para preventiva.

Conforme a PF, a financeira Unick Academy é suspeita de movimentar R$ 40 milhões por dia. Vítimas do esquema de pirâmide relatam dívidas de até R$ 500 mil.

De acordo com o delegado Aldronei Pacheco Rodrigues, a empresa operava também no exterior. Durante a investigação, a polícia encontrou um centro de negócios da financeira em Belize, país na costa leste da América Central.

Foram cumpridos 65 mandados de busca e apreensão e foram executadas medidas judiciais cautelares para apreensão de veículos, sequestro de bens e bloqueio de valores em contas correntes.

Segundo a PF, o grupo atua no mercado financeiro paralelo, sem autorização das autoridades competentes, com a captação ilegal de recursos de cerca de um milhão de clientes.

“Essa empresa e todo esse conglomerado que a gente chama de ‘Esquema Unick é muito maior. A captação deles é, no mínimo, de R$ 2,4 bilhões. A pulverização, eles falam de um milhão de clientes, a carteira, e de 740 mil ativos”, contou o delegado.

A Unick Sociedade de Investimentos emitiu uma nota afirmando que “agradece as manifestações de apoio que estão ocorrendo nas mídias sociais. E continua acreditando na Justiça e colaborando para que os fatos sejam esclarecidos o mais breve possível”.

Fonte: G1


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso