Cunha rebate Levy: “I think maybe he does not know to handle the economy”

Ministro afirmou ao jornal “The State of S. Paulo” que Congresso agiu para “enfraquecer” pacote fiscal.
29/07/2015 11h51 - Updated 29/07/2015 11h51
Photo: Nelson Antoine (Folhapress)

The mayor, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), countered on Tuesday the finance minister's statement, Joaquim Levy, that Congress has acted to “weaken” the measures of fiscal adjustment proposed by the government. The government “não tem do que reclamar”, disse Cunha. “Acho que talvez ele [Joaquim Levy] não saiba lidar com a economia ou com o Congresso. Todas as medidas do chamado ajuste fiscal foram aprovadas pela Câmara.Rompido com o governo, o parlamentar argumentou quenão foi o Congresso que deprimiu a economia”.

Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, Levy disse que a redução da meta de superávit primário (economia gerada para o pagamento da dívida pública) poderia ter ficadonum mínimo” from 0,4% and not 0,15%, como foi anunciado, se tivesse contado com a colaboração do Congresso para aprovar com velocidade as medidas de ajuste fiscal, como a que trata da desoneração da folha de pagamento, adiada para o segundo semestre pelo Senado.

Appeal – Eduardo Cunha reuniu-se nesta terça-feira por cerca de uma hora com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, the House of Representatives. O encontro representa o início do esforço do governo para conseguir no Congresso a aprovação da redução da meta fiscal do superávit primário deste ano, from 1,1% for 0,15% stir START – or 66,3 bilhões de reais para 8,747 billion reais.

At the end of the meeting, o peemedebista afirmou que a meta não será cumprida do jeito que foi colocada pelo governo porque hátrês variáveis de difícil cumprimento”, entre elas a proposta de repatriação de dinheiro mantido no exteriorque o governo conta com a aprovação, apesar de não ter enviado o texto ao Congresso.

Source: Veja.com


*** If you are in favor of a totally free and impartial press, collaborate enjoying our page on Facebook and visiting often the AM POST.


Contact Terms of use