06/08/2015 14h58 - Updated 8/08/2015 23h43

Deployment of armored cabins in taxis can be taken up by permit holders

Photo: Robervaldo Rock / CMM
Photo: Robervaldo Rock / CMM

A implantação da cabine blindada nos táxis visando o combate à violência voltou a ser tema de discussão na Câmara Municipal de Manaus (CMM), com a audiência pública realizada na tarde da quarta-feira (5) pela Comissão de Transporte, Transportation and Public Works (COMTVOP), por solicitação do vereador Amauri Colares (PROS).

A audiência pública contou com representantes da categoria e de autoridades da área, between them, o diretor de transporte da Superintendência de Transportes Urbanos de Manaus (SMTU), Fábio Pacheco da Silva, e o diretor executivo da Secretaria de Segurança Pública, Pedro Florêncio Filho, além do representante da empresa American Tec, Iran José Vasper, empresa que desenvolveu a cabine para os taxistas, o ex-vereador Paulo Di Carli que é autor da lei nº 1.678, from 28 June 2012 e o vereador Walfran Torres (PTC).

A Lei dispõe sobre a utilização de cabine de segurança blindada nos veículos destinados à exploração do serviço de transporte de passageiros por meio de táxi, na cidade de Manaus, sancionada pelo então prefeito de Manaus à época, Amazonino Mendes. A cabine blindada, prevista na legislação, isola o motorista do contato direto com os passageiros.

Autor da proposta da audiência pública, Amauri Colares explicou que o seu objetivo é resguardar a integridade física dos motoristas de táxis, vítimas de assaltos e de assassinatos. O vereador lembrou que recentemente dois taxistas foram assassinados. According to him, apesar do contingente policial nas ruas, os bandidos têm driblado e consequentemente cometido bárbaros assassinatos. “A cabine é importante, pois o bandido, antes de assaltar e matar o taxista vai pensar duas vezes”, he said, ao assegurar que essa implantação poderá vir por meio de financiamento.

A cabine blindada, de acordo com o vereador, já chegou a ser adotada por alguns taxistas, mas não foi para frente em Manaus. E por conta desse modelo, chegou a um representante da empresa American Tec, que tem uma sugestão de modelo para ser implantado.

Regulamentação
Autor da Lei, o ex-vereador Paulo Di Carli, lembrou que a Lei foi motivada pela sequência de mortes dos taxistas naquele ano. Foram oito e depois o número subiu para 13, e até hoje, já se chegou há quase 40 assassinados. “São mortes de trabalhadores que poderiam ter sido evitadas se a lei tivesse sido regulamentada. A lei pode não ser perfeita, mas a utilização das cabines blindadas chega a reduzir em 80 a 90% as mortes de taxistas”, he argued.

Presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos e Taxistas de Manaus, Luiz Augusto Lins Aguiar, explicou que realmente chegou a ser colocado um exemplar em um veículo da Tucuxi Rádio Táxi e que até a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), at the time, disponibilizou financiamento somente para o permissionário, mas impedia o auxiliar a ter acesso ao financiamento para implantação do equipamento e acessório. “Como os permissionários alugam seus veículos, muitos são contra a colocação da cabine”, he said, ao falar que não há unanimidade em relação ao projeto no meio dos taxistas.

Iran José Vasper argumentou, on the other hand, a que a implantação da cabine blindada é viável em Manaus, pois os custos são acessíveis, com assistência técnica e manutenção. According to him, a cabine contem chapa de policarbonato de dez milímetros de espessura e resistência à munição de alto calibre, que gera privacidade para o passageiro e para o taxista.

Presidente da COMTVOP, Rosivaldo Cordovil disse que já foi inclusive em Caxias do Sul (RS) para observar o sistema funcionando. Ele disse que o sistema funciona como proteção e reduz realmente o número de crimes.

Present at the meeting, o vereador Walfran Torres argumentou que poderá haver uma coalizão de forças tanto no Legislativo quanto ao Executivo. “O prefeito não tem se furtado às necessidades de nenhuma categoria”, he said.

Para o taxista Marcos Adriano Colares Pereira, representante da Cidade Nova Rádio Táxi, o sistema não foi para frente porque 70% da atividade da praça é realizada pelos auxiliares, que pagam diária de R$ 170. “E não há interesse dos permissionários e empresários em bancar essa despesa”, he said.

At the meeting, also, o diretor da SMTU, Fábio Pacheco concorda que a cabine é um item de segurança que deve ser implementada, pois está na lei. According to him, a aplicação da lei é importante e deve constar como item de segurança a ser fiscalizada.

A Agência de Fomento do Amazonas, conforme o diretor executivo, Marcos Paulo, possui a linha uma linha de crédito, aberta em abril deste ano, por meio do Banco do Povo, que gera a oportunidade de empréstimos para entidades de classe. Essa linha de crédito, according to him, no caso dos taxistas, é extensiva ao permissionário e ao auxiliar.

“Empréstimos de até R$ 5 mil podem ser liberados sem garantia. A partir de R$ 5 mil precisa de avalista”, secured.

At end, o presidente da COMTVOP, Rosivaldo Cordovil colocou a comissão a disposição para prestar qualquer esclarecimento ou apoio à categoria dos taxistas.

*** If you are in favor of a totally free and impartial press, collaborate enjoying our page on Facebook and visiting often the AM POST.

Latest news

Contact Terms of use Wp: (92) 99344-0505