Governador em exercício, Henrique Oliveira, destaca captação de novos investimentos junto ao Governo Federal para a Educação

Henrique exaltou investimentos na Educação, em parceria com o governo federal, como a construção de 18 escolas de tempo integral.
29/11/2016 18h22 - Atualizado em 29/11/2016 18h22
Foto: Divulgação

O governador em exercício, Henrique Oliveira, prestigiou nesta terça-feira, 29 de novembro, a cerimônia de entrega do título de Cidadão do Amazonas ao secretário de Educação Básica do Ministério da Educação e ex-secretário de Educação do Estado, Rossieli Sores da Silva. Na ocasião, Henrique Oliveira exaltou investimentos na Educação, em parceria com o governo federal, como a construção de 18 escolas de tempo integral.

Segundo Henrique Oliveira, a captação de novos investimentos junto ao governo federal é importante para garantir qualidade de Educação. “Só é possível se pensar educação no Amazonas se a gente recorrer ao dinheiro do governo federal, em especial do Fundeb. A gente sabe dessas 18 escolas de tempo integral que estão vindo e que vão atender muitas pessoas”, afirmou Oliveira.

Segundo o secretário de Educação Básica, o Amazonas deve ser contemplado com as reformulações de programas federais, atendendo de forma inédita a Universidade do Estado do Amazonas (UEA). “Nós temos vários projetos em andamento do Ministério da Educação e que vão beneficiar o Amazonas. Recentemente nós tivemos um projeto de educação em tempo integral, onde teremos 18 escolas de tempo integral financiadas. Os programas, que foram revitalizados, e que terão a participação de 100 escolas estaduais e outras municipais no estado Amazonas. Alguns outros programas estão sendo criados e vão beneficiar aqui também. Teremos algumas coisas peculiares como o apoio à Universidade local, que vamos ainda negociar com a Universidade do Estado para que ela possa apoiar as redes municipais no Amazonas”, disse Soares.

Rossiele Soares recebeu o título de Cidadão do Amazonas em solenidade prestigiada por autoridades e profissionais da Educação. Gaúcho de Santiago (RS), Rossieli Soares iniciou sua trajetória na Educação do Amazonas em 2008, quando ingressou na Secretaria de Estado de Educação do Amazonas e foi nomeado secretário titular em agosto de 2012. Em maio deste ano, ele deixou o cargo a convite do ministro da Educação, Mendonça Filho, para trabalhar no MEC.

A autoria do título é do Deputado Marco Antônio – Chico Preto (16ª e 17ª Legislaturas), através do Projeto de Lei nº 252/2013 de 14 de agosto de 2013, que foi aprovada por unanimidade pela Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas. A Lei nº 4.075 de 04 de agosto de 2014 foi publicada no Diário Oficial do Estado de nº 32.856.

Histórico – Rossieli Soares da Silva nasceu em 9 de outubro de 1978. É casado com a arquiteta Meglen Vallau da Silva e é pai de Arthur Vallau da Silva. Seus pais são o servidor público Antônio Zacarias da Silva e a psicóloga e professora Valdeni Terezinha Soares da Silva. Os irmãos de Rossieli são Alessandro Soares da Silva e Rossano Soares da Silva.

Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC) desde maio de 2016, Rossieli exerceu o cargo de secretário de Estado de Educação do Amazonas no período de agosto de 2012 até maio de 2016. Na gestão de Rossieli Soares à frente da Seduc, o Amazonas foi o Estado que teve o maior crescimento no Ensino Médio, entre as redes estaduais, no Ideb 2015, saindo de 3,0 em 2013 para 3,5 em 2015.

Inovando no aspecto pedagógico, Rossieli Silva idealizou e inaugurou, em fevereiro de 2016, a primeira Escola Pública Bilíngue Português-Japonês do Brasil – a Escola Estadual de Tempo Integral Prof. Djalma da Cunha Batista.

Os servidores da Educação estadual foram beneficiados com ações nunca antes registradas no Amazonas, tais como a revisão completa do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) – executada pela Seduc-AM e aprovado em 30 de outubro de 2013 pela Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), por meio do Projeto de Lei 349/2013; a concessão, assegurada pela Lei Estadual nº 3.951, de 4 de novembro de 2013, do direito inédito ao vale-alimentação mensal contemplando todos os professores e demais servidores estaduais da Educação; a concessão de auxílio vale-transporte; ao direito inédito à Hora de Trabalho Pedagógico (HTP); a um programa, também inédito de pós-graduação, realizado em parceria com a UEA e a um programa de mestrado em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso